Vereadores petistas entram com recurso e suspendem cassação

Cinco dos oito parlamentares cassados com Gilberto Kassab (DEM) se manterão no cargo até julgamento do TRE

Eduardo Reina e Gabriel Pinheiro, estadao.com.br

23 Fevereiro 2010 | 15h11

Cinco dos oito vereadores cassados com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), por receberem doações consideradas ilícitas na campanha de 2008 entraram com recurso na Justiça Eleitoral nesta terça-feira, 23. Dessa forma, Antônio Donato, Ítalo Cardoso, Arselino Tatto, Juliana Cardoso e José Américo Ascêncio Dias - todos do PT - automaticamente obtêm efeito suspensivo da decisão e se manterão no cargo até julgamento final do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ainda sem data marcada.

 

Veja também:

linkPara Kassab, cassação não gera repercussão negativa

linkAutor do IPTU progressivo está entre vereadores cassados

especialEntenda o processo eleitoral contra Kassab

lista Leia íntegra da decisão que cassou Kassab e vice

 

Além deles, Gilberto Natalini (PSDB), Marco Aurélio Cunha (DEM) e José Police Neto (PSDB), líder do governo na Câmara, também foram cassados. Na segunda-feira, Kassab e sua vice, Alda Marco Antônio (PMDB), também recorreram e suspenderam as cassações determinadas no fim de semana pelo juiz da 1ª Zona Eleitoral, Aloísio Sérgio Resende Silveira, devido ao recebimento de R$ 10 milhões em doações considerados ilegais.

 

Entre as doadoras estão a Associação Imobiliária Brasileira (AIB) - entidade acusada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de servir como fachada da defesa dos interesses do mercado imobiliário - e empreiteiras acionistas de concessionárias de serviços públicos.

Mais conteúdo sobre:
SPvereadoresGilberto Kassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.