Vereadores negam qualquer tipo de favorecimento

O vereador Aurélio Miguel (PR) voltou a classificar de "infundadas e inverídicas" as acusações envolvendo seu nome em relação às denúncias de suposto achaque dentro da Comissão Parlamentar de Inquérito do Imposto Predial e Territorial Urbano (CPI do IPTU).

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h04

"Saliento que o trabalho da comissão resultou no aumento da arrecadação municipal em cerca de R$ 640 milhões, sem aumento de tributos. Isso fruto de um aumento de incidência de impostos sobre mais de 3 milhões de metros quadrados até então não incluídos nos talões de IPTU paulistanos."

O vereador Adilson Amadeu (PTB) também negou qualquer irregularidade nos procedimentos enquanto esteve na comissão. Ele disse que os intimados que não foram depor ou não estão na lista do relatório final da CPI é "enviaram documentos". Segundo parlamentares, a Prefeitura dificultava a fiscalização de empreendimentos. / D.Z. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.