Divulgação
Divulgação

Vereadores e diretor da Sabesp rezam por água em Franca

Na cidade do interior de São Paulo, a companhia passou a divulgar listas diárias com dezenas de bairros prejudicados

Rene Moreira, Especial para O Estado

15 de outubro de 2014 | 19h37

FRANCA - Em Franca (SP), a falta de água levou a uma situação impensada. Na região, rica em recursos hídricos, a seca reduziu em 45% a vazão do Rio Canoas - o principal manancial da cidade - e em 65% a do Córrego Pouso Alegre, o outro que completa o abastecimento. Ao visitar o Canoas e saber que os cortes de água começariam nesta quarta-feira, 15, o vereador e pastor Otávio Pinheiro (PTB), pediu para rezar solicitando a ajuda divina por chuva.

Acompanhado de outros 12 vereadores e do diretor da Sabesp, Rui Engracia, com uma Bíblia nas mãos ele orou na estação de captação. "Fiquei muito assustando quando vi aquela situação, com o rio baixo e cheio de terra", justificou. "A gente já estava rezando nos templos, mas agora resolvemos pedir a ajuda de Deus daqui mesmo. Não tem como não se desesperar".


Na cidade, a Sabesp não assumiu oficialmente o racionamento, mas divulgou uma lista com dezenas de bairros que estão com corte de água. O diretor da companhia também já informou que a quantidade captada hoje é insuficiente para abastecer toda a cidade e, por isso, 27 caminhões-pipa têm buscado água o dia todo em represas da região para completar os reservatórios. Ele reclama que na cidade o consumo médio diário é de 170 litros de água por dia por habitante, enquanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que 110 litros seriam suficientes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.