Vereadores deixam de devolver notebook à Câmara

Parlamentares na última legislatura, Agnaldo Timóteo e Netinho não entregaram equipamentos; internet 3G teve de ser cortada pela presidência

DIEGO ZANCHETTA, RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2013 | 02h05

Lançado em 2011 para tornar a Câmara Municipal de São Paulo mais ecológica, o programa "Papel Zero" registrou as primeiras baixas no início deste ano. Dois vereadores da última legislatura não devolveram equipamentos como notebooks e tablets que foram cedidos a cada um dos 55 parlamentares e sequer informaram se vão fazê-lo, segundo a Presidência da Casa. São eles os cantores Agnaldo Timóteo (PR) e Netinho de Paula (PCdoB).

Sem ser reeleito para o seu terceiro mandato no Palácio Anchieta, Timóteo ainda não devolveu o notebook que foi comprado pela Câmara no ano passado. Segundo o órgão, o cantor será notificado em breve para que faça a devolução do equipamento, avaliado em cerca de R$ 2 mil. No total, o Legislativo municipal pagou R$ 143,5 mil pela aquisição de 70 notebooks.

Questionado pela reportagem, Timóteo diz não saber onde está o notebook. "Pode sim ter sido algum canalha que trabalhava no meu gabinete", disparou o vereador. "Sou semialfabetizado, fiz só até a terceira série do primário. Não sei nem ligar um aparelho desses. Estou na verdade ajuntando dinheiro para comprar um para minha filhinha", argumentou.

Músico. Já Netinho de Paula não devolveu nem o notebook nem o tablet cedido pela Câmara. Ele foi reeleito para um novo mandato mas foi nomeado secretário de Igualdade Racial pelo prefeito Fernando Haddad (PT) no começo do ano. "O secretário municipal Netinho de Paula foi oficiado posteriormente para entregar seu notebook e o tablet", informou a Casa. A internet 3G de seus equipamentos ficarão desligados até a devolução.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa de Netinho e também a da Prefeitura, mas não obteve resposta até as 20h30 de ontem. Cada um dos tablets vai custar cerca de R$ 4,1 mil para a Câmara, valor que compreende o aluguel por dois anos e o pagamento da internet 3G. No total, o gasto previsto para todos os tablets é de R$ 115,3 mil - mais do que os R$ 90 mil que deixariam de ser gastos pela Câmara por causa da economia de papéis, conforme anunciado pelo ex-presidente da Casa, José Police Neto (PSD), em 2011.

Inventário. Para saber a situação de cada um dos equipamentos que foram cedidos aos parlamentares, a nova Mesa Diretora eleita em janeiro deste ano - e presidida por José Américo (PT) - realizou um levantamento dos tablets e notebooks de cada um dos vereadores. O relatório constatou que os ex-vereadores Quito Formiga (PR) e Adolfo Quintas (PSDB), além de um antigo funcionário da Rádioweb, também não haviam devolvido seus tablets.

Segundo a Casa, os três foram notificados e devolveram os equipamentos ainda em fevereiro. Dessa maneira, entre os vereadores que deixaram a Casa neste ano, apenas Timóteo e Netinho de Paula ainda estão com os equipamentos. Ambos os contratos já previam unidades extras para que não faltasse equipamentos para os vereadores em caso de roubo ou extravio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.