Vereador quer derrubar veto do prefeito

Entrada específica nos bancos para carro-forte, cujo projeto foi vetado

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2010 | 00h00

Além de insegurança, um carro-forte parado na frente de uma agência bancária é quase sempre causa de transtorno no trânsito. A Câmara Municipal de São Paulo aprovou, em 2008, uma lei que cria entrada específica e área para estacionamento dos veículos de transporte de valores, mas o prefeito Gilberto Kassab (DEM) a vetou. O autor do projeto, José Rolim (PSDB), pretende retomar o assunto e derrubar o veto.

Terceiro suplente da coligação, Rolim reassume a cadeira a partir de março - quando o vereador tucano Carlos Alberto Bezerra Junior deixa a Câmara para tomar posse na Assembleia Legislativa. "Vou tentar derrubar o veto. E acho que é possível porque o Kassab vai precisar da gente."

O Projeto de Lei n.º 568/08 também estipulava multa de R$ 10 mil por dia para os estabelecimentos que não se adequarem às mudanças. "A gente constatou que teve muitos assaltos em carro-forte e os veículos ainda tomam multas. É uma lei que não tem custos para o Município."

No veto, publicado em 11 de fevereiro de 2009, o prefeito argumentou que a medida entraria em conflito com o Plano Diretor Estratégico da Cidade. Além disso, a multa seria inaplicável, uma vez que a adequação seria impossível a uma série de imóveis, como edificações tombadas ou com estrutura e área incompatível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.