Vendedora é encontrada morta no Rio Paraíba

Polícia investiga hipótese de que Daniela Sales Santana, de 31 anos, tenha sido sequestrada; vítima tinha marcas de agressão

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

20 de abril de 2016 | 15h23

SÃO PAULO - Uma vendedora de 31 anos foi encontrada morta, com contusão na cabeça e lesões em ambos os pulsos, no Rio Paraíba, no município de Pindamonhangaba, interior de São Paulo, na manhã deste domingo, 17. A polícia investiga a hipótese de que Daniela Sales Santana tenha sido vítima de sequestro. 

Ela foi localizada por dois homens que cavalgavam na Estrada Municipal Sapucaia e viram um corpo enroscado nos galhos de uma árvore no leito do rio. A dupla acionou a Polícia Militar. Homens do Corpo de Bombeiros também foram ao local e constataram a morte da vítima antes da remoção do corpo. 

Daniela foi reconhecida pelo irmão, um motorista de 36 anos, que teria entrado em contato com um delegado da capital, onde reside, para informar que no dia anterior, por volta das 15 horas, havia conversado com a irmã pelo celular. 

Segundo o irmão, a vendedora teria dito que estava sequestrada e se encaminhava para sacar o dinheiro exigido do criminoso. A quantia não foi informada pela polícia. Esse mesmo delegado, com quem o irmão falou, teria telefonado posteriormente ao motorista e avisado sobre a localização do cadáver no Rio Paraíba com as mesmas características da comerciante.

O irmão foi até Pindamonhangaba e reconheceu o corpo. O caso foi registrado como homicídio simples e roubo na delegacia do município. O crime de roubo também é investigado, pois o veículo da vítima, um I Kia Sorento de cor cinza, não foi localizado.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que foi instaurado inquérito para apurar a morte de Daniela. Disse ainda que os policiais analisam imagens de câmeras de segurança que possam identificar o suspeito e aguardam a conclusão de laudos periciais.

A Delegacia Antissequestro (DAS) da Delegacia Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) auxilia nas investigações. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.