Divulgação
Divulgação

Vendaval derruba casa e causa morte em Águas de Lindoia

Casa desabou, matando mulher de 36 anos; em Campos do Jordão, árvores desabaram e atingiram residências

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

22 Agosto 2016 | 15h35

SOROCABA - Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas ao serem atingidas pelos escombros de uma casa que desabou durante vendaval que atingiu o município de Águas de Lindoia, no interior de São Paulo, no domingo, 21. No Bairro dos Pimentéis, os ventos chegaram a 160 quilômetros por hora, segundo estimativa da Defesa Civil. A dona de casa Claudinéia Antunes, de 36 anos, dormia com o marido e a filha quando o telhado e paredes da casa vieram abaixo. Ela foi socorrida pelos familiares e vizinhos e levada a um hospital de Monte Sião (MG), mas não resistiu.

Seu marido, José Alves, e a filha ficaram feridos, mas sem gravidade. O vendaval destruiu também um dos galpões da granja de frangos da família e a carreta de um trator tombou com a força do vento. A passagem da ventania abriu uma clareira nas matas da região, derrubando cerca de cem árvores. Na cidade, parte da cobertura de um posto de combustível foi arrancada.

O temporal com rajadas de vento atingiu também Campos do Jordão, na encosta da Serra da Mantiqueira. Nos bairros Capivari e Alto da Boa Vista, região turística da cidade, pelo menos 17 árvores desabaram e três delas atingiram residências. Ruas e avenidas ficaram interditadas e houve corte na energia. Outras três casas ficaram destelhadas. De acordo com a Defesa Civil, apesar dos danos, as famílias não precisaram ser removidas dos imóveis. Não houve vítimas.

Enchente. No Vale do Ribeira, com a trégua dada pelas chuvas, as águas do Rio Ribeira de Iguape começaram a baixar nesta segunda-feira. Mesmo assim, em Ribeira, 104 pessoas ainda estavam fora de casa por causa do transbordamento do rio na madrugada de domingo. Com a ponte do Rio Tijuco coberta pelas águas, a ligação entre Ribeira e Itirapuã Paulista continuava interditada. Em Eldorado, o nível do rio tinha chegado a 8,8 metros e baixou para 8,2 metros, mas ainda havia cinco famílias desabrigadas e três desalojadas, num total de 50 pessoas afetadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.