Velório e enterro de bióloga atropelada na Paulista ocorrem em S.J. dos Campos

Vítima se desequlibrou ao ficar entre dois ônibus, caiu e foi atingida pela roda de um dos coletivos

Ricardo Valota, do estadão.com.br; e William Cardoso e Camilla Brunelli, de O Estado de S.Paulo,

03 Março 2012 | 04h21

Atualizado às 6h15

 

SÃO PAULO - O corpo da bióloga e ciclista Juliana Dias, de 33 anos, é velado e será enterrado neste sábado, 3, no Cemitério Parque das Flores, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba. Segundo a família, o enterro será realizado às 10 horas. O corpo de Juliana chegou às 3 horas no cemitério, localizado no Jardim Morumbi.

 

A ciclista morreu na manhã de ontem, 2, perto do cruzamento da Avenida Paulista com a Rua Pamplona, nos Jardins. Para desviar de um ônibus que fazia uma ultrapassagem, ela se desequilibrou, caiu e acabou atropelada e morta por outro coletivo. A bióloga Juliana Dias era pesquisadora do Hospital Sírio-Libanês e ia da Vila Mariana para o trabalho.

 

O caso ocorreu a poucos metros do local onde a massagista Márcia Prado foi atropelada e morta por um ônibus, em 2009. Juliana era cicloativista e saía com grupos para plantar árvores. O acidente interditou duas faixas da Paulista das 9h30 às 12h50, no sentido Consolação. À noite, cicloativistas fizeram um protesto na Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.