Velocidade em miniatura

Na última sexta, a Cidade Universitária foi sede de uma competição inusitada: uma corrida de carrinhos de controle remoto, concebidos e criados a partir de latinhas pelos alunos da USP. Foi a primeira fase de um campeonato mundial da modalidade - a etapa nacional acontece em outubro e, no mês seguinte, a final mundial.

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2012 | 03h03

A cada 15 dias, o Museu da Casa Brasileira (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705, Jardim Paulistano) permanece aberto até as 22h - com entrada grátis a partir das 18h. A próxima data do evento é no dia 26, quando está prevista uma apresentação musical - do grupo Black Voices -, além da possibilidade de visitar o acervo permanente do museu. Quem for também irá conferir a mostra Todd Bracher - A Essência das Coisas, em cartaz até o dia 21 de outubro. Mais informações pelo telefone ( 11) 3032-3727.

O quarto livro do projeto De Mão em Mão - que distribui obras gratuitas em quatro terminais de ônibus da cidade - já está na praça. Trata-se de Histórias de Horror, coletânea de contos de autores como Edgar Allan Poe, Arthur Conan Doyle e Joseph Conrad. Lançados a partir de dezembro do ano passado, o projeto tem ainda os títulos Missa do Galo, de Machado de Assis, Contos Paulistanos, de Antônio de Alcântara Machado, e A Nova Califórnia e Outros Contos, de Lima Barreto.

Em cartaz até o dia 10, a exposição 140 Anos do Uso do Gás mostra a evolução da energia em São Paulo. São fotografias, jornais, revistas e mapas antigos, que ajudam o visitante a entender as transformações da cidades desde 1872, quando foi instalado o primeiro projeto de iluminação pública - com lampiões à base de carvão mineral.

A foto ao lado, de data desconhecida, mostra um bonde paulistano puxado por tração animal, provavelmente na Rua da Consolação.

Para conferir a mostra, que fica na sede da Comgás (Rua Capitão Faustino de Lima, 134, Brás), é preciso antes agendar pelo telefone (11) 3333-5600 ou pelo e-mail memoriadogas@energiaesaneamento.org.br. A entrada é grátis. Mais informações em www.energiaesaneamento.org.br.

A exposição foi organizada pela Fundação Energia e Saneamento, criada em 1998 para pesquisar, preservar e divulgar o patrimônio histórico e cultural do setor de energia e do saneamento ambiental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.