Velocidade cairá em grandes avenidas

Na Paulista, Faria Lima e Radial Leste, motorista só poderá trafegar a até 60 km/h; Prefeitura quer padronização para reduzir acidentes

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2011 | 00h00

A Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) vai reduzir a velocidade máxima em importantes vias de São Paulo, como as Avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima. A medida faz parte de um programa de padronização dos limites em toda a cidade, que começou a ser implementado no ano passado para aumentar a segurança no trânsito.

O objetivo é fazer com que vias com características semelhantes tenham o mesmo limite de velocidade. "A ideia é que se tenha o menor número de velocidades máximas dentro da cidade. Então, grandes corredores, como as marginais, terão uma determinada velocidade. Corredores de uma segunda categoria, como a 23 de Maio, terão uma segunda velocidade", disse o secretário Marcelo Cardinale Branco.

A padronização começou no início do ano passado com a redução de 80 km/h para 70 km/h nas Avenidas 23 de Maio e Rubem Berta. Isso unificou a velocidade em toda a extensão do corredor Norte-Sul. Meses depois, foi a vez da Avenida Indianópolis, na zona sul da capital, que passou de 70 km/h para 60 km/h, assim como a Avenida Jabaquara, Rua Sena Madureira e o corredor formado pelas Avenidas Domingos de Moraes, Noé de Azevedo e Rua Vergueiro.

"O foco principal é que as pessoas saibam de forma mais intuitiva quais são as velocidades permitidas na cidade. E, portanto, respeitem os limites de forma mais intuitiva e não apenas dependendo da sinalização do local", completou o secretário.

As próximas vias que vão receber as mudanças são as Avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima e a Radial Leste. Em todas, o limite de velocidade vai passar dos atuais 70 km/h para 60 km/h. Não foi definido quando as reduções vão ocorrer.

A previsão é que as reduções necessárias comecem primeiro com todas as vias arteriais (avenidas principais e com semáforos) para depois atingir outros tipos de ruas e avenidas. Estão descartadas por enquanto modificações nas Marginais do Pinheiros e do Tietê (onde o limite é de 90 km/h na pista expressa para veículos de passeio).

Além de padronizar e melhorar o posicionamento dos motoristas em cada via, a secretaria afirma que a redução no limite de velocidade diminui o risco de acidentes e a gravidade, quando eles acontecem.

Os especialistas em engenharia de tráfego elogiam a medida e não acreditam que os congestionamentos possam aumentar com os veículos trafegando a uma velocidade menor. "Os maiores fluxos de veículo são justamente quando os carros estão mais devagar e mais perto um do outro", diz o engenheiro de tráfego e mestre em transportes pela Universidade de São Paulo (USP) Sérgio Ejzenberg.

O raciocínio leva em conta que os veículos precisam reservar um espaço maior quando estão em alta velocidade. Um ritmo mais lento permite uma maior proximidade. "Além disso, não há razão para que se trafegue a uma velocidade maior de 60km/h em uma via arterial, com semáforo", diz.

As velocidades praticadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não seguiam as indicadas no Código de Trânsito Brasileiro. Essa legislação prevê 80 km/h nas vias de trânsito rápido (como as Marginais do Tietê e do Pinheiros), 60 km/h nas vias arteriais (como a Paulista), 40 km/h nas vias coletoras (Alameda Santos) e 30 km/h (ruas de bairro sem farol).

A PADRONIZAÇÃO

Onde já mudou

Avenidas 23 de Maio e Rubem Berta tiveram velocidade reduzida de 80 km/h para 70 km/h. Nas Avenidas Indianópolis, Jabaquara, Domingos de Moraes e Noé de Azevedo e Ruas Sena Madureira e Vergueiro, a alteração foi de 70 km/h para 60 km/h

Próximas vias

Avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima, mas não há previsão de quando. A velocidade passará de 70 km/h para 60 km/h

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.