''Vela só é romântico no Dia dos Namorados''

Renato Rea, artista plástico e fotógrafo de 28 anos

, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2011 | 00h00

''Sou freelancer, trabalho em casa e virou rotina ter o trabalho interrompido, ou mesmo perdê-lo, em razão de quedas de energia, cada vez mais frequentes no Itaim-Bibi. Às vezes, são interrupções rápidas, mas já passei mais de seis horas sem luz. Ficar à luz de velas só é romântico no Dia dos Namorados, pois cliente nenhum aceita você perder prazo por apagão em pleno século 21!

Os danos materiais também não são pequenos, pois tem aparelho que queima no blecaute. E nada adianta descontar da conta, pois uma coisa é ter energia e escolher não usá-la, outra é não tê-la à disposição. Isso fere a dignidade e vai contra princípios básicos da vida moderna e do serviço a que a concessionária se propõe. A impressão é de que o problema é empurrado com a barriga, sem fiscalização adequada.

Quando a gente reclama, a empresa põe a culpa em galho, chuva, vento. A promessa de aterrar os fios foi convenientemente esquecida, mas o problema maior me parece ser a falta de manutenção na rede e, principalmente, de investimentos que acompanhem o boom imobiliário - moro no Itaim há 28 anos e nesse tempo o bairro mudou bastante.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.