Veja rotas para fugir do trânsito na região do Fura-Fila

Avenidas do Estado e Anhaia Mello também foram fechadas; piso do Fura-Fila caiu sobre viaduto Grande SP

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

01 de abril de 2008 | 05h52

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou nesta terça-feira, 1, o Viaduto Grande São Paulo, localizado no final da Avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Mello, na Vila Prudente, devido à queda de parte da estrutura do Expresso Tiradentes. Os veículos que trafegam pela Av. Anhaia Mello, sentido centro, poderão seguir à direita pela Rua Maria Daffré, à esquerda na Rua Capitão Pacheco e Chaves, Viaduto Capitão Pacheco e Chaves, virar à direita na Avenida do Estado, retornando ao trajeto original. As Avenidas do Estado e Anhaia Mello também estão fechadas.   Veja também Vídeo - Trecho da obra do Expresso Tiradentes desaba  Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua Viaduto em SP deve ser liberado ainda nesta 3ª, diz CET Após acidente, SP vai adiar inauguração do Expresso Tiradentes   Já os veículos que trafegam no sentido bairro deverão seguir à direita pela Rua 1822, à esquerda na Rua Dom Lucas Obes, Viaduto Gazeta do Ipiranga, à direita no Viaduto Pacheco e Chaves e à direita na Rua Dianópolis, retornando ao caminho original. Na manhã desta terça, um guindaste vai tentar retirar a parte da estrutura que caiu, mas o trânsito continuará interditado no viaduto, pois serão necessárias obras que dêem segurança ao local, segundo a CET. O congestionamento de veículos na região é muito grande.     O trânsito nas principais vias de São Paulo:    Reprodução/ CET     Os piores trechos para se trafegar em São Paulo nesta terça são a Marginal do Pinheiros e a Avenida Radial Leste. Na Marginal, os motoristas encontram morosidade, no sentido Santo Amaro/Jaguaré, pista expressa, desde a Ponte João Dias até a Ponte Cidade Jardim, num total de 7,8 quilômetros. Na Radial, o congestionamento acontece, no sentido bairro-centro, entre o Viaduto Pires do Rio e a Rua Wandenkolk, num total de 4,7 quilômetros. Às 8 horas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrava 121 quilômetros de lentidão em toda a cidade.   No final da noite de segunda-feira, 31, parte da estrutura que está em construção do piso do Expresso Tiradentes caiu sobre o viaduto, que faz a ligação entre as avenidas das Juntas Provisórias, região do Sacomã e Ipiranga, e as avenidas dos Estados (acesso ao Grande ABC) e Luís Ignácio de Anhaia Mello, que leva os motoristas até a zona leste da capital, passando pela Vila Alpina, Vila Ema e Parque São Lucas.   A orientação da CET é que os caminhões que vêm das rodovias Ayrton Senna, Fernão Dias e Presidente Dutra com destino ao Sistema Anchieta-Imigrantes (que dá acesso ao Porto de Santos) evitem seguir viagem pela Avenida Salim Farah Maluf (cujo acesso é feito pela Ponte do Tatuapé - na Marginal do Tietê) e sigam direto pela Marginal do Tietê e Marginal do Pinheiros, acessando a Avenida dos Bandeirantes.   Normalmente, muitos caminhões que vêm da zona leste da capital ou das rodovias que chegam à cidade por essa região têm como destino o Porto de Santos e por isso são obrigados a utilizar o Sistema Anchieta-Imigrantes. Para evitar as marginais, esses caminhões entram na Avenida Salim Farah Maluf, que dá acesso à Luís Ignácio de Anhaia Mello, e, por sua vez, desemboca no Viaduto Grande São Paulo.   Como o viaduto está interditado e o principal acesso à Avenida do Estado e às Juntas Provisórias naquela região é feito já sobre o viaduto, o motorista está sendo orientado por técnicos da CET a não entrar na avenida Luís Ignácio de Anhaia Mello. O tráfego na região enfrenta problemas, afetando tanto a chegada à Marginal do Tietê pelas rodovias Fernão Dias, Dutra e Ayrton Senna, como a Avenida Salim Farah Maluf - que também serve de opção para o motorista que quer acessar a pista sentido bairro-centro da Avenida Radial Leste.   Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego(CET), o acesso ao Viaduto Grande São Paulo pela saída à direita no pé do Viaduto Gazeta do Ipiranga, no final da Avenida das Juntas Provisórias, está interditado.    Acidente   Ninguém ficou ferido e nenhum veículo foi atingido. O impacto do choque da estrutura que cedeu sobre o viaduto foi amortecido pela mureta de concreto do próprio viaduto e da plataforma - de madeira e ferro - usada pelos operários na concretagem do piso. Funcionários da Prefeitura, engenheiros e técnicos da São Paulo Transportes (SPTrans) estão no local para avaliar os danos causados e tentar apurar a causa do desabamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.