Taba Benedicto/Estadão
Taba Benedicto/Estadão

Veja como se proteger do calor em pleno inverno

Cuidados devem ser redobrados com crianças, idosos e animais de estimação

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2019 | 15h19

SÃO PAULO - Com temperaturas batendo os 40ºC em pleno inverno, e umidade do ar baixa, é preciso tomar cuidados importantes com a saúde.

O Estado ouviu especialistas e lista algumas dicas.

Roupas e hidratação

No calor, é importante usar roupas leves e não se expor ao sol. Tomar bastante água e outros líquidos também é importante. O presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, José Francisco Kerr Saraiva, afirma que temperaturas altas no inverno, como a onda de calor que acontece no Estado de São Paulo, podem representar riscos sérios para a saúde.  "O primeiro ponto é que o calor excessivo pode ocasionar a desidratação. Para as pessoas que se expõem ao sol, há também o risco de queimaduras devido à incidência dos raios solares."

Ele lembra que as pessoas, em geral, não estão preparadas para enfrentar o calor fora de época. Saraiva recomenda que as pessoas procurem tomar muito líquido, façam o possível para se proteger do sol, usando protetores solares, sombrinhas e óculos de sol, e busquem permanecer em ambientes mais frescos. Também é recomendável evitar o consumo de alimentos perecíveis, cuja deterioração é acelerada pelo calor.

Bebês e Crianças

A atenção deve ser redobrada principalmente com bebês menores de dois anos, afirma Maria Cecília Hyppolito, pediatra e neonatologista do Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo. "Ofereça líquido, frutas e alimentos frescos. Procure vestir roupas mais leves e evite o contato direto com o sol, no momento em que a temperatura está mais elevada", recomenda a pediatra.

No caso de recém-nascidos, o corpo resfria e esquenta muito facilmente até os seis meses. Em dias mais quentes, dê preferência para roupas de algodão. "Em dias mais quentes, também é indicado dar mais banho nas crianças. As fraldas também devem ser trocadas com mais frequência para evitar assaduras e manchas vermelhas pelo corpo", orienta Maria Cecília.

O protetor solar também é recomendado a partir dos seis meses. Mesmo com a proteção, evite a exposição excessiva ao sol. No caso das crianças, o ar condicionado deve ser usado com cautela para não prejudicar à saúde. "O ar condicionado é muito perigoso porque ao mesmo tempo em que resfria o ambiente, ele diminui a umidade do ar. Nessa época do ano, já temos a umidade do ar diminuída", alerta Jamal Azzam, médico otorrinolaringologista formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

As crianças são mais sensíveis do ponto de vista respiratório. "Mesmo os pequenos, podem produzir muita secreção, mas o canal respiratório é mais estreito e acaba entupindo com mais facilidade. Se for usar ar condicionado, mantenha o umidificador ligado o tempo todo para repor a umidade perdida pelo ar condicionado. Preventivamente, use soro fisiológico nas narinas ou faça inalação somente com soro", recomenda o medico.

No lugar de uma bacia de água, o ideal é distribuir toalhas de banho molhadas pelo quarto à noite. "Quando seca (a toalha), isso indica que a umidade foi para o ambiente. Para hidratar, ofereça líquido o tempo todo e não espere que a criança peça ou tenha sede. Observe ainda a cor da urina. Se estiver escura, é sinal de falta de líquido no corpo", orienta Azzam.

Idosos

O idoso geralmente sente menos sede. "É preciso tomar água voluntariamente, mesmo sem sede. Além da cor da urina, precisa ser observada a cor da boca, língua, bochecha e dos olhos que ficam mais secos. O sinal inicial de desidratação é o cansaço. Isso ocorre também pela falta de líquido no corpo", orienta Jamal Azzam, médico otorrinolaringologista. O idoso deve ingerir 1 litro de água por dia. Para manter o controle, a dica é beber uma garrafa de 500ml no período da manhã e outra no decorrer da tarde.  

Para quem tem problema respiratório, recomenda-se fazer inalação com soro fisiológico de modo preventivo e borrifar as narinas com soro. "O uso contínuo de soro no nariz previne até crises respiratórias, como rinite, gripes e resfriados", reforça o otorrino.  

Para quem gosta de fazer caminhada, é bom evitar o período entre 11h e 16h.

Pets 

A atenção também deve ser redobrada com os animais de estimação. Nesses dias mais quentes, é essencial deixar os pets em ambiente mais fresco durante o dia. 

"É importante manter os animais sempre hidratados com água fresca à vontade. Os donos de cães devem evitar passeios em horários com temperaturas mais altas, dando preferência para o período da manhã ou o fim da tarde. A recomendação vale principalmente para cães idosos, peludos e debilitados que têm mais dificuldade para eliminar o calor", orienta a veterinária Verônica Souza, da Clínica Veterinária Confiança Pires do Rio.

Ela também recomenda que sejam evitadas viagens de carro. "Evite que o animal se estresse nesses dias mais quentes para não prejudicar sua saúde. Quando estiver muito quente, não faça viagens de carro com ele."

Além disso, se o seu pet é muito agitado, evite levá-lo ao pet shop para tosar, quando está muito quente, porque isso pode deixá-lo muito irritado. "Confira também como é a ventilação no local. Ambientes abafados também são prejudiciais", alerta Verônica.  

No trânsito

A onda de calor que atinge o Estado de São Paulo levou o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) a alertar os motoristas sobre os cuidados ao dirigir nessas condições. "A primeira dica é, se possível, não dirigir em horários em que a incidência solar está mais intensa, ou seja, das 11h às 17h", informou.

O órgão lembrou que, se não tiver como escapar do trânsito nesse período, as pessoas devem se hidratar tomando água, usando protetor solar e óculos escuros. "Uma recomendação geral é que o motorista não dirija se estiver cansado ou após ingerir alimentos pesados ou gordurosos. Esses alimentos podem causar sonolência ou até provocar algum tipo de mal-estar."

A Defesa Civil acrescenta que o motorista tente umidificar o ambiente e use soro fisiológico nos olhos e narinas.

O veículo também deve estar sempre em boas condições de uso. Verificar o nível de água ou líquido arrefecedor no radiador é fundamental para os dias de calor intenso. O mau uso ou falta de refrigeração pode fundir o motor. Fique atento aos alertas no painel do veículo.

Como nos dias de calor costuma aumentar a incidência de pancadas de chuva, o limpador de para-brisa deve estar funcionando bem e com as palhetas em dia.

Fique igualmente atento a queimadas ao longo das vias. Se passar por algum foco de incêndio e fumaça, reduza a velocidade e tente acionar o Corpo de Bombeiros da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.