Veículos são queimados a 200 metros do Deic, em Santana

É a segunda vez, no intervalo de um mês, que são registrados ataques na mesma via; ônibus e carro ficaram destruídos

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2014 | 00h10

SÃO PAULO - A menos de 200 metros da sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil, veículos foram incendiados e destruídos, no fim da tarde desta terça-feira, 25, em Santana, zona norte da capital. Pessoas não identificadas atearam fogo em um ônibus e em um carro. É a segunda vez, no intervalo de um mês, que veículos são atacados na via. Ninguém ficou ferido. 

O Corpo de Bombeiros foi à avenida e teve a ajuda da forte chuva que caía na região no início da noite para controlar rapidamente as chamas. Mesmo assim, o ônibus ficou completamente queimado e o carro, parcialmente.

Parado na frente do portão do seu bloco do condomínio, um homem, que preferiu não se identificar, disse estar com medo. “Estou apavorado. A gente não sabe qual a próxima coisa que pode acontecer por aqui”, disse. “Só estou esperando minha aposentadoria chegar para eu sair daqui.”

A tempestade que caía e a maciça presença de policiais na avenida, que isolavam o local da ocorrência, afastaram a presença de curiosos. Alguns moradores do condomínio permaneciam na janela dos apartamentos observando o trabalho da tentativa de retirada do ônibus da via. Outros moradores se recusaram a comentar como o ataque havia começado. 

Em razão dos ataques, ambos os sentidos da via permaneceram interditados por mais de cinco horas. Um guincho da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) foi usado para remover o ônibus do canteiro central da avenida. 

A Polícia Militar informou que manteria homens durante toda a noite na região para patrulhamento. 

Equipes da Tropa de Choque chegaram a ser acionadas, mas passaram menos de uma hora na área do confronto. Homens da Força Tática da Polícia Militar chegaram a observar a movimentação no conjunto habitacional, mas a PM negou ter havido qualquer busca no local.

Investigação. O trabalho inicial da PM não resultou em nenhuma detenção. O caso deve ser investigado no 9.º Distrito Policial, onde será registrada a ocorrência.

No dia 26, um caso similar havia acontecido a poucos metros do local onde os veículos foram queimados nesta terça. Naquele dia, cerca de 50 pessoas haviam parado um ônibus e o incendiaram após retirarem todos os passageiros. A PM também não soube informar o que motivou o ataque.

Nesta terça-feira, moradores que voltavam para casa após o trabalho se assustavam com a recorrência da situação. Com a via interditada para o tráfego de carros, alguns tiveram de parar em um ponto anterior da avenida e caminhar passando perto da área do incêndio. 

Tudo o que sabemos sobre:
DeicSantanaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.