Valéria Evaristo/Divulgação
Valéria Evaristo/Divulgação

Vazão do Rio Piracicaba aumenta dez vezes com a chuva de domingo

Durante 4 horas, choveu mais do que a quantidade registrada em todo o mês de outubro; vazão passou para 65 mil litros por segundo

Rene Moreira, Especial para O Estado

03 de novembro de 2014 | 19h20

PIRACICABA - A chuva que caiu no domingo, 2, fez a vazão do Rio Piracicaba subir dez vezes. Em três pontos de medição, durante quatro horas, choveu mais que o volume de chuvas registrado no mês de outubro inteiro. A vazão do rio foi de 6,5 mil litros por segundo para 65 mil litros na Rua do Porto, ponto turístico da cidade de Piracicaba.

O efeito disso é percebido de imediato, pois as pedras do fundo que estavam à vista em vários pontos do leito, agora ficaram quase encobertas por completo pela água. A medição da vazão do Rio Piracicaba é feita pelo Sistema de Telemetria do Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) que, às 17h desta segunda, 3, apontava 56,5 mil litros por segundo no posto de análise do Distrito de Artemis.


O sistema também indicava um volume crescente de água no leito do rio, importante para dezenas de municípios e ainda para o Sistema Cantareira, responsável por abastecer a Região Metropolitana de São Paulo.

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), deve chover esta semana na cidade - que continuará com temperatura elevada, na casa dos 30ºC. A possibilidade de chuva é de 80%, mas ela deve ser curta e acompanhada de trovões.

O índice pluviométrico foi alto entre a noite de domingo, 2, e o início da madrugada desta segunda-feira, 3, quando em que a precipitação atingiu 36,6 milímetros, bem acima dos 23,5 milímetros marcados durante todo o mês de outubro. Até o fim de novembro a expectativa é de que chova 100 milímetros, quantidade igual ao mesmo mês de 2013 e que ajudaria na recuperação do rio.

O leito do Piracicaba chegou a ter pouco mais de 60 centímetros de profundidade, foi a 80 centímetros e dobrou nos dois últimos dias, chegando a 1,60 metro. A pouca quantidade de água fez milhares de peixes morrerem nos últimos meses por falta de oxigênio.

Prejuízo. A chuva também causou prejuízos em Piracicaba na noite de domingo, 2. Uma rampa de acesso do shopping local ficou destruída e foi fechada sem data para ser reaberta. Consumidores tiveram dificuldade para deixar o empreendimento e postaram fotos nas redes sociais informando a situação.

O shopping informou que não houve dano estrutural no complexo onde ficam as lojas e nem vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.