Vazamento de gás fecha shopping no PR

Um vazamento de gás no Shopping Água Verde, em Curitiba, fez com que o centro comercial fosse esvaziado das 9h às 14h de ontem. Os moradores de um prédio residencial acima dele também tiveram de ficar na calçada, enquanto os bombeiros tentavam estancar uma tubulação defeituosa. Segundo o Corpo de Bombeiros, a concentração de gás foi tão grande que o shopping correu risco de explosão.

EVANDRO FADEL / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2011 | 03h04

O gerente do local, Pedro Celso Leandro, disse que o problema foi observado pouco antes das 9 horas, quando o pessoal da manutenção percebeu um cheiro forte do gás liquefeito de petróleo (GLP) - o mesmo que é usado em botijões.

O Corpo de Bombeiros e a Liquigás, que fornece gás ao estabelecimento, foram chamados. Os bombeiros chegaram antes ao local e evacuaram o shopping, que fica na Avenida República Argentina, perto do centro da cidade. Moradores de um dos edifícios que ficam sobre o shopping - e que tem entrada pelo estabelecimento - também foram aconselhados a esperar na calçada.

Falha. A tubulação em que foi encontrado o vazamento não é usada há cerca de cinco anos, pois atendia exclusivamente a um supermercado já fechado. Os canos que levam o gás para a praça de alimentação do shopping não foram afetados. "Uma válvula da tubulação foi encontrada com avarias", disse o gerente do estabelecimento. Um laudo deve ser realizado para detectar o motivo do problema. Segundo o gerente, o shopping, que tem 27 anos, está mudando do GLP para o gás natural.

Depois de estancado o vazamento, os bombeiros permitiram a entrada de funcionários para abrir todas as janelas e ligar o ar condicionado central, para dissipar o gás que ainda estava acumulado no shopping. A autorização para o retorno das atividades somente foi dada quando as medições demonstraram que não havia mais gás no local.

Durante o trabalho do Corpo de Bombeiros, o trânsito foi interrompido nas imediações do estabelecimento. Apenas meia pista da faixa de ônibus da Avenida República Argentina permaneceu aberta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.