Varrição aos domingos? Não tem data

São Paulo poderia amanhecer mais limpa às segundas-feiras - e ter menos enchentes - se um novo contrato para varrição das ruas fosse feito pela Prefeitura. O prefeito Gilberto Kassab (sem partido) prometeu, em 2009, fazer um contrato para limpeza das calçadas, com previsão de varredores nas ruas aos domingos. As empresas ainda teriam de limpar as bocas de lobo. Mas, no fim de 2010, o governo acabou renovando os atuais contratos, de R$ 400 milhões ao ano.

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2011 | 00h00

1. Quais são os principais problemas do atual modelo de varrição?

A própria Prefeitura considera que os atuais contratos não contemplam várias medidas que deixariam a cidade mais limpa e menos suscetível às enchentes. As principais são a falta de varredores aos domingos, a separação dos serviços de varrição de rua e limpeza de bueiros e o alto custo dos contratos - que passaram de R$ 276 milhões em 2005 para R$ 437 milhões em 2011, um aumento de 87%, bem maior do que os 30% previstos para a inflação no período.

2.Esse modelo ajuda a agravar o problema das enchentes?

Até o prefeito Gilberto Kassab (sem partido) já admitiu que sim. Ocorre que a limpeza de bueiros é feita por uma empresa e a varrição, por outra. O relatório final da CPI das Enchentes mostrou que, em 16 inspeções, garis varreram a sujeira para dentro dos bueiros. Em 2010, Kassab prometeu mudar o contrato e fazer licitação para que a mesma empresa faça os dois serviços - assim, ela mesma se policiaria para que esses casos não ocorressem mais. Mas o prefeito acabou renovando o contrato antigo e prometeu mudar apenas neste ano.

3. Há fiscalização hoje em dia?

Não, são as próprias empresas que enviam à Prefeitura relatório de ruas varridas. Kassab abriu licitação de R$ 37 milhões no mês passado para contratar uma empresa para vigiar serviços de varrição, mas o processo de contratação ainda não se encerrou.

4. Quando o novo contrato começa a valer?

O atual se encerra em novembro e a expectativa é de que novas empresas já assumam o serviço logo depois disso. Assim, a varrição aos domingos e o combo bueiros-ruas deve finalmente ser contemplado.

5.Qual a situação desse processo?

Para que um novo contrato comece a valer já em novembro, o edital deve ser lançado nas próximas semanas - especialistas estimam entre 3 e 4 meses para se encerrar uma licitação desse porte. Até agora, entretanto, a Prefeitura trabalha no documento e não há estimativa para o início da concorrência.

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br

Ouvidoria: (11) 0800-175717

Denúncias

Central 156

Ministério Público Estadual Promotoria de Urbanismo e Meio Ambiente: 3119-9119

E-mail: uma@mp.sp.gov.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.