Prefeitura de Itanhém/Divulgação
Prefeitura de Itanhém/Divulgação

Vândalos depredam imagem sacra em ponto turístico de Itanhaém

Imagem de Nossa Senhora de Lourdes teve a cabeça arrancada; posto de informações foi pichado, luminárias e bancos, danificados

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2015 | 14h29

SOROCABA - Vândalos depredaram uma imagem sacra na gruta de Nossa Senhora de Lourdes, atração turística de Itanhaém, no litoral sul de São Paulo. O ataque foi constatado por turistas que procuraram o local no sábado, 3. A imagem que, segundo a tradição católica, representa Santa Bernadette, teve a cabeça arrancada. Um posto de informações turísticas instalado no acesso à rocha conhecida como Cama de Anchieta, por ser o local onde o padre José de Anchieta costumava meditar, foi pichado.

Os vândalos teriam jogado pedras contra a imagem de Nossa Senhora de Lourdes, instalada na gruta, mas não conseguiram quebrá-la. O monumento reproduz uma passagem da tradição católica em que Maria, a mãe de Jesus Cristo, teria aparecido à camponesa Bernadette Soubiroux, em uma gruta, no interior da França, em 1846.

Bancos e luminárias da praça no entorno também foram danificados. A Polícia Civil tentará identificar os autores do vandalismo. No local, que fica no Morro do Paranambuco, entre as Praias dos Sonhos e do Cibratel, não há câmeras de monitoramento.

A prefeitura informou que, embora faça parte do circuito turístico oficial do município, a área da gruta é particular e será feito contato com o proprietário para recuperação da imagem. Os outros bens afetados serão reparados.

Segundo a prefeitura, atualmente dez monumentos da cidade estão sendo restaurados devido a atos de vandalismo. Recentemente, foi danificado o busto de Martim Afonso de Souza, na Praça Carlos Botelho. A prefeitura informou que faz campanhas contra o vandalismo e pede à população que denuncie as ações à Guarda Municipal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.