Valor é contestado

TAM - TAXAS AEROPORTUÁRIAS

O Estado de S.Paulo

24 Março 2012 | 03h02

Minha família e eu viajamos para Lisboa pela TAM, no dia 30/12, e o retorno estava previsto para 11/1/2012. Os trechos seriam Lisboa/Londres e Londres/São Paulo. Ao emitir os bilhetes, paguei R$ 1.500 de taxa de embarque do aeroporto de Londres pelas 3 passagens. Mas, como precisamos estender a viagem por mais dois dias, o trecho mudou para Lisboa/Madri e Madri/São Paulo, onde a taxa de embarque é bem mais barata que a do aeroporto londrino. Por isso, solicitei o reembolso da diferença entre as taxas aeroportuárias de Londres e Madri, mas até agora não recebi nada. Peço ajuda no meu caso e aguardo um retorno da TAM.

LUCIANA S. RIBEIRO /SÃO PAULO

A TAM informa que entrou em contato por e-mail com a sra. Luciana por meio do Fale com o Presidente, serviço de atendimento ao cliente, para informá-la de que foi providenciado o reembolso pleiteado por ela em 14 de março. O valor estará disponível em suas faturas com fechamento posterior a essa data. O Fale com o Presidente continua à disposição para mais esclarecimentos, pelo telefone 0800 123200, site www.tam.com.br ou fax 0800 123900.

A leitora discorda: A TAM entrou em contato comigo dizendo que iria reembolsar R$ 65,09, alegando que essa é a diferença entre as taxas aeroportuárias voltando de Lisboa por Madri, em vez de Londres. No dia 16/3 fiz uma simulação no site da própria empresa de compra de bilhetes São Paulo/Madri e São Paulo/ Londres e a diferença entre as taxas foi bem maior, de R$ 262 reais por passageiro. Como a TAM chegou ao valor de R$ 65,09?

UM MÊS SEM INTERNET

Embratel não tem modem

Desde o dia 14/2 estou sem o sinal de internet e a Embratel não resolve a questão. Segundo o técnico, o problema está no modem. Desde então, foram marcadas 7 visitas para a troca do aparelho, e ninguém apareceu. A última estava marcada para o dia 17/3, período que corresponde a mais de 1 mês sem acesso à internet. A Embratel alega que não dispõe de modem para efetuar a troca. E, para cada agendamento não cumprido, o cliente é quem deve entrar em contato.

NELSON TANAKA / OSASCO

A Embratel informa que a visita técnica foi agendada em data

acordada com o cliente.

O leitor desmente: Novamente aguardei o técnico, mas ninguém compareceu.

NET COBRA POR SERVIÇO

Sem oferecer nada

No ano passado contratei o serviço Sócio Torcedor Pay-Per-View da NET. Por duas vezes não me liberaram o sinal em um dos pontos da minha casa. Após tentar por várias vezes resolver o problema com a NET, enviei uma reclamação à Coluna e, em menos de 24 horas o sinal funcionou. Na ocasião, ofereceram por 60 dias os canais da Telecine. Mas, após esse período, bloquearam não só os canais de filme, como também o Sócio Torcedor. Liguei à Ouvidoria da NET, em vão.

FABIANO MURGIA /SÃO PAULO

A NET informa que entrou em contato com o cliente, que confirmou a normalização do sinal.

O leitor discorda: Liberaram os canais só por 1 dia. No dia seguinte, saíram do ar.

Solicitei a portabilidade do meu telefone da Telefônica para a NET e estou sem a linha há 1 mês. A Telefônica culpa a NET e vice-versa. A cada hora os atendentes da NET me passam uma informação diferente.

RICARDO PIZZOTTI / SÃO PAULO

A NET informa que entrou em

contato com o consumidor e

esclareceu as dúvidas.

O leitor informa: A Telefônica entrou em contato comigo e informou que não cobrará pelo período em que fiquei sem a linha. Já a NET disse que tentará resolver o meu problema num prazo máximo de 30 dias, deixando-me sem linha por 60 dias. Desisti e fiz a portabilidade com a Claro, que solucionou a questão em 7 dias.

SHOPPING SANTA CRUZ

Mau cheiro persiste

Com relação à carta publicada ontem, sobre o mau cheiro do Shopping Santa Cruz, o leitor sr. Luís Alberto de A. Ramos tem toda razão. Moro bem perto do shopping e utilizo muito essa estação de Metrô. O cheiro é insuportável - mesmo fora do shopping. Pela manhã dá náuseas. Não sei como os comerciantes vizinhos não fizeram nada para que o duto da cozinha fosse levado até o último andar. Acredito que o fiscal da Subprefeitura Vila Mariana, que respondeu não ter detectado problema algum, ou esteve no local num horário inapropriado ou estava gripado.

MARIA ADELAIDE V. P. P. SOARES / SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.