Vale-tudo na hora de pedir em casamento

Empresas garantem melhor clima e criam o cenário em qualquer lugar do mundo

O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2013 | 02h08

Empresas brasileiras prometem realizar qualquer tipo de pedido de casamento e em qualquer lugar do mundo, desde grandes produções a até encontros reservados. Vale tudo: é possível fechar a Torre Eiffel por uma noite, dar uma festa nas pirâmides do Egito ou assistir ao show de Elton John no Oscar Viewing Party. Depende apenas da criatividade e de quanto o pretendente está disposto a pagar.

O empresário paulistano João Luís Olivério, de 33 anos, contratou uma empresa especializada em pedidos inusitados para fazer uma surpresa em Nova York para a namorada, Paula Pileggi, também de 33 anos. Ele preparou uma caça ao tesouro e espalhou pistas por Manhattan. A primeira delas estava escondida na confeitaria Magnolia Bakery - onde foram filmados seriados como Sex and The City. A caçada terminou na loja da Tiffany da Wall Street, onde a noiva poderia escolher o anel que gostasse.

Em seguida, Olivério, que estava escondido, fez o pedido de casamento em uma sala fechada exclusivamente para os dois. "Eu queria fazer uma coisa engraçada. As mulheres sabem o quanto é difícil um homem agradar a namorada com joias e a Paula é exigente", afirma. O pedido foi inspirado no filme Sweet Home, Alabama (Doce Lar), que tem como primeira cena um pedido de casamento na loja da Tiffany.

Sócio da empresa Jazz Side (www.jazzside.com.br), Pedro Opice diz que investimento para garantir o "sim" é alto: "A partir de R$ 5 mil e vai até o infinito". Um dos casos mais inusitados foi a encomenda de um jantar na Torre Eiffel, em Paris. O contrato, que exigiu autorização da prefeitura para que a torre ficasse fechada por duas horas, incluía apenas a presença do casal, do chef Alan Ducasse do restaurante da torre, de um garçom e um assistente. Total: 140 mil. "O noivo teve de cancelar na última hora por problemas profissionais, mas o esquema estava todo montado", diz Opice.

O jogador de vôlei paulista Ike Moreno, de 33 anos, escolheu o dia do aniversário de sua futura mulher para fazer o pedido, "por ela ser desconfiada". "Eu namorava havia 4 anos e tinha certeza de que queria fazer algo diferente, inusitado e marcante, mas que não fosse extremamente extravagante." Maria Eduarda Tremel viajou de Florianópolis para São Paulo só para a surpresa. Ela foi levada ao bistrô Paris 6 para um "brunch", ao Masp para um "tour" e em seguida ao hotel The Capital, onde ganhou uma massagem e alguns mimos. À noite, após um jantar no Itaim-Bibi, Moreno a levou à cobertura do hotel, que estava decorada com flores e velas, e finalmente fez o pedido. A noiva aprovou. "Depois de tudo, o quarto coberto de pétalas brancas do chão até o lustre completaram o cenário, criando uma cena de filme e me fazendo perder a respiração."

Gasto menor. Mas os noivos não precisam gastar muito para fazer um pedido criativo. Por R$ 1.250, o noivo da curitibana Carol Munhoz, de 21 anos, a surpreendeu com cartazes espalhados pela capital do Paraná, que a levaram a uma escola de música, onde ela assistiu a uma apresentação de piano e ouviu uma declaração de amor. Em uma praça, pessoas contratadas seguravam cartazes com o pedido "Casa comigo?". Durante todo o pedido, a noiva estava sendo discretamente fotografada. As fotos e os vídeos foram gravados pela empresa InAmore (www.inamorebrasil.blogspot.com.br), que se inspirou em vídeos de pedidos de casamento nos EUA.

No entanto, o sócio da empresa, Bruno Gabriel, afirma que algumas pessoas pedem "coisas absurdas". "Alguns querem fazer megaeventos, com a presença da presidente." / ADRIANA FERRAZ, BÁRBARA FERREIRA SANTOS E MÔNICA REOLOM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.