Vai ao parque hoje? Em 4 será fácil achar livros

A partir de hoje, quatro parques de São Paulo entram no roteiro literário da cidade. Livros finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura serão deixados em pontos visíveis dentro dos Parques do Ibirapuera (zona sul), do Carmo (zona leste), da Juventude (zona norte) e da Água Branca (zona oeste). Os frequentadores poderão levar gratuitamente os livros para casa, mas devem devolvê-los depois de ler.

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

23 Julho 2011 | 00h00

No total, cem exemplares dos 20 livros finalistas serão deixados em áreas de grande movimento nos parques: próximo de quadras esportivas, bebedouros e bancos, por exemplo. A ideia é que frequentadores dos locais "trombem" com os livros e se interessem a ponto de interromper o passeio para ler embaixo de uma árvore ou levar as obras para casa.

"Vamos observar o comportamento dos frequentadores e, se houver boa procura, vamos ampliar a distribuição de livros para outros parques da cidade", disse o secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo. "A próxima etapa pode ser realizada nos parques da periferia."

Escritores que terão livros distribuídos apoiaram a iniciativa. "Há fome de cultura em todas as classes sociais. Exatamente por isso, é interessante que sejam distribuídos em parques, que recebem público de todas as classes", disse o escritor Nelson de Oliveira, frequentador do Parque da Água Branca e que terá distribuído seu livro Poeira: demônios e maldições.

"Vou observar o leitor. Vai ler no ponto de ônibus? Na grama do parque? Em casa? Meu palpite é que quem mais vai aproveitar é o público jovem", completou a escritora Andrea Del Fuego, autora de Os Malaquias, também finalista do prêmio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.