Vai ao exterior? Já vale check-in pelo celular

Antes restrito a voos domésticos, serviço começará a ser oferecido hoje pela TAM em Cumbica

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

25 Março 2013 | 02h05

Uma facilidade que já existe para passageiros de voos domésticos será estendida aos de voos internacionais: o check-in pelo celular. A partir de hoje, passageiros da TAM que embarcarem no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, para qualquer destino internacional menos os Estados Unidos já poderão entrar no avião sem papel, apenas com o celular - e o passaporte - em mãos. Hoje, no Brasil, nenhuma companhia que opera voos para fora do País oferece o serviço.

O procedimento é o mesmo de fazer o check-in online, pelo site da TAM, que pode ser acessado tanto do computador quanto do tablet ou do smartphone. Uma vez feito o check-in, o passageiro solicita o envio de um código bidimensional para o celular, por SMS ou e-mail. Esse código passa a ser o cartão de embarque e basta ser mostrado ao funcionário na hora de embarcar.

O check-in pode ser feito de 3 dias a 2 horas antes do embarque - o que tira a necessidade de chegar com tanta antecedência ao aeroporto. Por enquanto, estará disponível em voos de Guarulhos para Frankfurt, Paris, Londres, Milão, Madri, Cidade do México, Lima, Buenos Aires, Santiago, Montevidéu e Caracas.

Segurança. Por exigência das autoridades americanas - que solicitam que as empresas sabatinem o passageiro no check-in, perguntando sobre itens levados na mala, por exemplo -, os voos para cidades americanas ficam de fora.

Segundo a TAM, o fato de o passageiro não precisar se apresentar no check-in não acarretará problemas de segurança - o passaporte será checado depois, pela Polícia Federal e por um agente da companhia, antes do embarque no avião.

Para quem viaja com mala, a companhia promete oferecer uma fila exclusiva para despacho de bagagens - o que já é praxe em voos domésticos. "Quanto mais as empresas melhorarem a experiência do passageiro, oferecendo rapidez e comodidade, melhor", afirma o diretor da Associação do Transporte Aéreo Internacional (Iata, na sigla em inglês) no Brasil, Carlos Ebner.

O sistema de cartão de embarque eletrônico não é suficiente - é preciso que a administradora do aeroporto tenha um leitor compatível com smartphones. Por isso, o projeto piloto dessa tecnologia é sempre em aeroportos grandes, como Cumbica.

Hoje, apenas 13 aeroportos pequenos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) exigem o cartão de embarque no papel, como o de São José dos Campos (SP) e o de Corumbá (MS).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.