Vai a júri acusada de matar coronel Ubiratan

Acusada de matar o coronel Ubiratan Guimarães, seu ex-namorado, a advogada Carla Cepollina vai a julgamento em 28 de agosto no Fórum Mário Guimarães, na Barra Funda, zona oeste da capital. Ela responde ao processo em liberdade. Ubiratan - que comandou a invasão ao Carandiru em 1992, provocando 111 mortes no Pavilhão 9 - foi morto em 2006 com um tiro na barriga, em seu apartamento. Segundo a acusação, Carla matou por ciúme. A defesa nega e diz que uma pendência jurídica pode cancelar o júri.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.