Jose Patricio/AE
Jose Patricio/AE

Vaga no Center Norte deixará de ser gratuita

Cobrança lá, no Lar Center e no Aricanduva deve começar no primeiro semestre de 2012

Luísa Alcalde, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2011 | 00h00

JORNAL DA TARDE

Shoppings centers da capital que ainda ofereciam vagas gratuitas de estacionamento vão passar a cobrá-las no próximo ano. O objetivo é evitar que motoristas que nem chegam a entrar nas lojas deixem automóveis o dia todo ali e sigam de transporte público para outros compromissos ou mesmo para o trabalho.

Segundo os centros de compra, a ascensão de uma nova classe média tem exigido que as vagas fiquem disponíveis mais rápido e há maior disputa por espaços. "Antigamente nossos clientes vinham mais de metrô ou de ônibus para comprar aqui. Agora, com renda maior e acesso fácil a crédito para venda de veículos, esse perfil mudou", comenta Ricardo Afonso, diretor do complexo formado por Shopping Center Norte e Lar Center, na zona norte da capital.

Esses dois empreendimentos já estão instalando cancelas e equipamentos automatizados em suas entradas. A cobrança começa em janeiro. O valor das primeiras quatro horas deve ficar entre R$ 5 e R$ 6, segundo Afonso. Metade do preço praticado por outros shoppings que têm as tabelas mais caras da cidade, com as três primeiras horas saindo a R$ 10.

O empreendimento ainda negocia como será a cobrança de clientes do hipermercado. O diretor explica que, em primeiro lugar, o uso indevido das vagas, que vinha aumentando há quatro anos, levou o Center Norte a optar pela cobrança, o que não fazia desde sua inauguração, em 1984. Afonso calcula que cerca de 40% das vagas estavam sendo utilizadas de forma irregular. Em outubro, todo o sistema já deve estar implementado e em novembro entrará em operação como teste.

Funcionários de uma loja no Center Norte, Marcio Gonçalves Borba e André Viegas contam que, quando há feiras no Expo Center, próximo do centro de compras, por volta das 10 horas já não há vagas para clientes do shopping. "Param o carro aqui o dia inteiro e vão ao evento a pé." Mesmo assim, os dois não concordam em ter de pagar para parar. "Deveriam exigir nota fiscal de consumo na saída", disseram.

Na zona leste, o Shopping Aricanduva ainda estuda o sistema que adotará para a cobrança, que deve começar no primeiro semestre de 2012, segundo o diretor-superintendente Marcos Sérgio de Oliveira Moraes. "Só passaremos a cobrar após as duas primeiras horas", explica, considerando que este é o tempo de permanência de 80% dos clientes. O valor ainda não foi definido e os funcionários deverão contar com um bolsão gratuito.

Ainda de graça. Já o Shopping D e o Interlagos, respectivamente nas zonas norte e sul, devem manter a gratuidade em seus estacionamentos. A assessoria do Shopping D informou que o centro de compras não tem planos de mudar sua política. E o Interlagos - que dispõe de uma área coberta paga para 900 vagas - oferece outras 5,8 mil gratuitas. Segundo a assessoria do local, também não há intenção de efetuar mudanças.

Nenhum executivo dos dois complexos, porém, foi encontrado para comentar por que seguem apostando no estacionamento grátis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.