Usuário pagará taxa bancária de R$ 1 a cada recarga

A criação do pedágio por km rodado é uma possibilidade de economia para quem percorre apenas trechos das rodovias. O novo projeto, contudo, traz embutida a criação de uma taxa de R$ 1 de custo bancário, que será cobrada toda vez que o usuário fizer a recarga da tag. Esse valor vai custear o trabalho do banco de pagar o pedágio à concessionária da rodovia.

O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2011 | 03h02

O sistema vai funcionar como um celular pré-pago - será preciso recarregar antes. A recarga mínima será de R$ 20, mas não há limite máximo. Quem recarregar três ou quatro vezes por mês vai desembolsar perto de R$ 50 de taxa ao longo do ano. A Artesp afirmou que, por ser um projeto-piloto, não é possível afirmar como será essa cobrança no futuro. O governo planeja passar o sistema à iniciativa privada.

Se mantida, a taxa de R$ 1 deverá ser paga por todos os usuários caso as praças de pedágio acabem, como pretende o governo. Segundo o secretário de Logística e Transporte, Saulo Abreu, trata-se de um custo operacional e pequeno. Ele chama a atenção para os R$ 11,90 cobrados hoje de mensalidade pelo sistema Sem Parar. /M.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.