USP quer aumentar rigor nas punições por festas ilegais

USP quer aumentar rigor nas punições por festas ilegais

Proibição de festas no câmpus foi antecipada após a morte de Victor Hugo dos Santos, encontrado na raia olímpica da universidade 

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

01 de outubro de 2014 | 20h54

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo quer aumentar o rigor nas punições contra responsáveis por problemas em festas no câmpus Butantã. Nesta quarta-feira, 1º, a superintendente de Prevenção e Proteção Universitária, Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer, se reuniu com representantes de centros acadêmicos para discutir o assunto.

“Não temos condições de garantir a integridade física dos participantes dessas grandes festas”, afirma Ana Lúcia. A autorização de festas na USP, diz ela, era discutida desde abril, mas foi antecipada pela morte de Victor Hugo dos Santos, de 20 anos, há quase duas semanas. O caso ocorreu em evento do grêmio da Escola Politécnica, onde as festas foram temporariamente proibidas. 

Ana Lúcia diz que é preciso aumentar a fiscalização sobre festas não autorizadas, comuns no câmpus e que reúnem mais de 2 mil pessoas. Nos próximos meses, a superintendência ainda pretende fazer um pacto com os alunos, com punições previstas para irregularidades. 

Tudo o que sabemos sobre:
Universidade de São PauloUSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.