Uso de droga se espalhou

Após o início da intervenção policial no bairro da Luz, minicracolândias começaram a surgir em bairros de classe média das zonas sul e leste. No Campo Belo, várias ruas nos arredores da Avenida Jornalista Roberto Marinho estão até hoje tomadas por grupos fumando crack. O movimento ocorre principalmente na Rua Doutor Estácio Coimbra.

O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2012 | 03h04

Na zona leste, a maior concentração de viciados fica na Rua Hely Lopes Meireles, na Ponte Aricanduva, e sob uma alça de acesso da Marginal do Tietê, ao lado da Favela do Pau Queimado. Também há concentrações de dependentes no Tatuapé e na Vila Prudente, na zona leste, e na Saúde, na sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.