Uso de 'alternativos' é especulado no meio há anos

Cenário: Roberto Fonseca

COLUNISTA DE CERVEJA DO PALADAR, O Estado de S.Paulo

31 Março 2012 | 03h07

A polícia flagrou fato que já era voz corrente nos bastidores do meio cervejeiro há anos, mas ninguém confirmava. O uso de "alternativos" vendidos como marcas famosas teria começado, segundo especulam produtores, com a falta de chope para todos os bares no verão. Depois, foi opção para baratear custos.

Além do crime contra o consumidor, a ação policial também revela a pouca atenção que se dá ao que vai no copo de muitos consumidores de chope. Com a bebida servida a temperatura "estupidamente gelada", fica difícil descobrir se o que tomamos é o que pedimos.

Uma saída é, como ocorreu, um consumidor em dúvida reclamar e a polícia tomar providências - que essa ação seja contínua e a fiscalização, extensiva a outros pontos da cidade. Outra é o apreciador de cervejas buscar novos e diferentes sabores em produções artesanais nacionais ou importadas. Quanto maior a qualidade e diversidade, mais difícil fica a substituição por "alternativos". Ou, pelo menos, a diferença é mais fácil de ser notada.

'

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.