Usada apenas pela Webjet, área está ociosa

Mesmo com a inauguração do Terminal 4, a situação do Aeroporto de Guarulhos não melhorou muito. Lá, só são operados voos da Webjet, companhia que voa para apenas dez cidades, tem menos de 50 operações por dia e movimentação anual de 240 mil passageiros - muito aquém dos 5,5 milhões que o "puxadinho" está apto a receber.

O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2012 | 03h07

O estacionamento fica vazio a maior parte do tempo. Não há praça de alimentação, apenas um café. A Infraero diz que uma lanchonete especializada em pão de queijo abrirá nos próximos meses no local. Para outras lojas, não há previsão.

Além disso, o terminal é remoto, ou seja, fica separado do aeroporto principal - são cerca de 2 km de distância, que podem ser percorridos em um ônibus circular da Infraero. E muitos passageiros ainda fazem confusão, mesmo com as placas e os letreiros luminosos instalados no aeroporto e na Rodovia Hélio Smidt sobre os embarques e desembarques da Webjet, apenas no Terminal 4.

Com tudo isso, o sucesso do "puxadinho" ainda depende da ida da Gol para lá, mudança negociada desde o ano passado, ainda sem data para ocorrer. A resistência da empresa se justifica por seus voos internacionais - o "puxadinho" serve apenas aos domésticos, pois falta infraestrutura da Receita e da Polícia Federal. Indo para lá, a Gol dividiria seus 170 voos diários em dois terminais, algo pouco prático no dia a dia, sobretudo para passageiros em conexão. / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.