Urbanização dos morros também ganha suas intervenções de grife

Até as obras de urbanização feitas nas favelas cariocas para integrá-las ao restante da cidade ganharam visuais sofisticados.

Bruno Boghossian /Rio, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2010 | 00h00

Em junho, a Rocinha (zona sul) estreou uma passarela majestosa assinada por Oscar Niemeyer, com curvas inspiradas no monumento da Praça da Apoteose, no Sambódromo do Rio ? também projetada pelo arquiteto. A construção liga uma das extremidades da comunidade ao moderno centro esportivo projetado por Luiz Carlos Toledo, parte das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Investimentos em habitação e infraestrutura também dão novos ares às favelas de Manguinhos e do Alemão (zona norte), pelas mãos do argentino Jorge Mário Jáuregui. Praças, prédios residenciais e bibliotecas chamam atenção pela ousadia, como o parque que lembra as ramblas de Barcelona, em Manguinhos, e o teleférico do Alemão.

No fim do mês passado foram entregues as torres do Morro do Cantagalo, zona sul. Criadas para ligar a favela ao metrô, têm tudo para se tornar ponto turístico, já que a construção de 64 metros de altura tem elevadores panorâmicos e vista para Ipanema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.