José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Universitário é baleado em estacionamento da USP Leste

Tiro atingiu o pescoço do jovem, que foi encaminhado ao pronto-socorro do Hospital Geral de Guianases; universidade diz que estudante já recebeu alta e passa bem

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2016 | 08h12
Atualizado 18 Novembro 2016 | 20h46

SÃO PAULO - Um estudante de 22 anos do curso de Sistemas de Informação foi baleado no pescoço em uma tentativa de assalto no estacionamento da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP Leste),  na zona leste da capital paulista, na noite desta quinta-feira, 17. Em nota publicada no fim da manhã desta sexta-feira, a EACH informou que o estudante recebeu alta e passa bem. 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a vítima foi atacada por dois indivíduos às 21h45, quando pegava o seu carro no estacionamento da universidade, na Rua Arlindo Bettio. Os dois suspeitos mandaram o jovem descer do veículo. O estudante saiu e, enquanto os homens entravam, a vítima correu.

Os criminosos fizeram três disparos - um deles atingiu o pescoço do estudante, que foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao pronto-socorro do Hospital Geral de Guianases, também na zona leste. Os criminosos conseguiram fugir. 

Em nota publicada por volta de meia-noite, a USP Leste disse que "o aluno estava consciente, falando, enquanto aguardava o socorro, acompanhado pela GU sediada na EACH". "Esta informação nos dá indícios de que o ferimento possa não ter sido grave." 

O texto, assinado pela diretoria da EACH, diz ainda que o professor Dib Karam Jr., responsável pela prefeitura da USP Leste, está em contato com órgãos centrais de segurança para ações de reforço da segurança. 

"Informamos que está sendo finalizado um levantamento de todos os aspectos envolvidos na segurança das pessoas que circulam, estudam e trabalham na área Leste do campus Capital da USP, incluindo monitoramento, procedimentos nas portarias, iluminação, comunicação etc. Todos os aspectos serão objeto de discussões com os órgãos centrais da USP, com reunião com as Superintendências de Segurança e de Saúde e a Prefeitura, esperando avanços, para maior tranquilidade de todos.", informou a USP em nota.

A diretoria da USP Leste informou que está em contato com os órgãos centrais da instituição para medidas de reforço de segurança. Já a reitoria disse que “prestará todas as informações para as investigações”.

No câmpus da zona leste há sete guardas universitários e 12 vigilantes terceirizados, que se revezam em turnos. Em setembro de 2015, a USP iniciou um novo modelo de policiamento nas áreas da universidade, feito pela Polícia Militar. De acordo com a reitoria, PMs também fazem rondas internamente e no entorno da área da USP Leste.

O caso foi registrado no 24º Distrito Policial (Ponte Rasa) e será invetsigado no 62º Distrito Policial (Ermelino Matarazzo). 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.