Unidos pelo Chili Peppers

Casal fã da maior atração de ontem no Palco Mundo resolveu se casar horas antes do show em uma cerimônia na Rock Street

Paulo Sampaio, enviado especial/RIO - O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2011 | 03h00

"A vida só gosta de quem gosta dela", diz, com expressão de profundidade, a juíza de paz Maria Vitoria Guimarães Riera. "Todo mundo nuuuuuu!", emenda um roqueiro de passagem pelo coreto da Rock Street, onde Maria Vitória celebrou ontem o casamento da professora de química gaúcha Maria Raquel Lettres, de 31 anos, e do analista de sistemas Gabriel Genelli, de 28, ambos fãs do grupo Red Hot Chili Peppers.

Raquel explica que estava com a festa de casamento marcada para ontem mesmo, só que em Porto Alegre, quando descobriu há cerca de um ano pela internet que os Red Hot viriam ao Brasil. Ligou para a produção do Rock in Rio, disse que estava disposta a perder o sinal do bufê (R$ 8 mil) e abrir mão da cerimônia em sua cidade, para se casar durante o festival. A produção adorou e chamou a Globo. O presidente do Rock in Rio Roberto Medina e sua mulher, Mariana, providenciaram um carrão preto para levar os noivos.

Ao começar a cerimônia, a meritíssima, que estava de coque banana e maquiagem caprichada, agradece a oportunidade de celebrar um casamento de roqueiros: "Parabéns, Rock in Rio, obrigada família Medina (ela sapeca um beijo para Roberto). Acho maravilhoso estar aqui com essa gente jovem, os fãs do Red Rock (assim mesmo), que acreditam na família, no amor". A juíza se emociona e chora rapidamente.

"Cala a boca Hebe!", grita alguém na multidão. Os noivos, que vivem juntos há quatro anos, informam que vão se casar mais uma vez na semana que vem. Raquel conta que não perdeu o dinheiro do bufê porque outra noiva, na mesma igreja, desistiu de casar-se no próximo sábado. Usando um vestido tomara-que-caia branco de renda desenhado por ela mesma, explica que não vai repetir o modelo. "Agora o noivo já viu", diz ela, que tem com ele um filho de 2 anos, Miguel.

Ao final da cerimônia, Raquel vai jogar o buquê. Gritaria geral. Namorando há quatro anos, a auxiliar de limpeza Marcela de Oliveira, de 23 anos, diz, com a expressão distante e o queixo apoiado na vassoura: "Queria tanto pegar o buquê...".

Não foi desta vez. Quem pega é a técnica em eletrônica Daniele Santana, 23 anos, noiva de Alan Costa, 22. "Tinha de ser comigo, meu Deus!", diz Alan, enquanto a namorada o beija para as fotos.

Os noivos sobem em um degrauzinho para dar entrevistas em um cantinho com cheiro de xixi atrás do coreto. A juíza Maria Vitoria, conhecida por casar famosos no Rio, também fala a jornalistas. "Hoje é minha estreia celebrando casamentos no Rock in Rio. Que festa maravilhosa, que povo, que ética", ela repete. "É preciso mostrar isso para as pessoas. O que fazem de errado, a gente esconde!" E como.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.