Unesp de Araçatuba decreta luto por professora morta no vôo

Maria Elizabete voltava de viagem de férias com as duas netas; elas foram visitar a bisavô no Sul

Chico Siqueira, do Estadão,

20 de julho de 2007 | 00h19

O campus da Universidade Paulista (Unesp) de São José do Rio Preto, a 440 quilômetros de São Paulo, decretou luto na quinta-feira, 18, pela morte de Maria Elizabete Caballero, 65 anos, professora e pesquisadora aposentada, morta no vôo 3054. As bandeiras do campus, do Brasil e do Estado de São Paulo, amanheceram no meio do mastro em homenagem à professora.  Veja também: Cobertura completa do acidente com o vôo 3054 da TAM Maria Elizabete trabalhou por 20 anos (1967-1986) no Instituto de Biociências, Letras e Ciência Exatas (Ibilce) como professora de história natural e pesquisadora. "Ela era uma pessoa alegre, que fazia o aprendizado se tornar mais interessante dentro da sala de aula e nas atividades fora dela", comentou a ex-aluna e atual coordenadora de pós-graduação do departamento de biologia, Cláudia Bonini. Maria Elizabete era especializada em invertebrados, mas sua participação com a comunidade em defesa do meio ambiente a tornou querida e conhecida na cidade. "Sua preocupação com a degradação dos rios e a defesa da fauna e da flora em campanhas com os moradores fizeram dela uma pessoa muito querida em toda a cidade", contou Cláudia. Maria Elizabete voltava de viagem de férias que fez a Porto Alegre com as duas netas - Julia, 14 anos, e Maria Isabel, de 10. As meninas foram visitar a bisavó, mãe de Elizabete, que mora no Sul do País.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.