UnB investiga ameaça de estupro a calouras

A ameaça foi conhecida com a divulgação, em redes sociais, de alunos fazendo alusão à violência sexual

O Estado de S.Paulo

26 Julho 2013 | 02h05

A diretora de Assuntos Comunitários da Universidade de Brasília (UnB), Sônia Marise Salles Carvalho, disse ontem que investiga a denúncia de que estudantes do curso de Engenharia de Redes ameaçam as calouras, fazendo referências à possibilidade de estupro. As informações são da Agência Brasil.

A ameaça foi conhecida com a divulgação, em redes sociais, de dois estudantes fazendo alusão à violência sexual ao segurar um cartaz dizendo: "Caiu nas redes é estupro". A UnB identificou os alunos porque a foto deles foi colocada em uma rede social por um estudante de Pedagogia.

Sônia Carvalho disse que uma comissão será instaurada para acompanhar o processo de investigação. "Vamos ter que fazer campanhas, abrir o diálogo sobre o assunto para que não se repita mais", ressaltou. "Isso tem de ser averiguado, porque está em total desacordo com as normas da universidade."

A punição para os responsáveis pela ameaça vai de advertência até expulsão.

Violência. A UnB enfrenta problemas com a violência entre os estudantes há algum tempo. Em março de 2012, foi aprovada uma resolução que trata das normas de convivência e vivência na universidade.

Há proibição de recepções dos calouros que submetem os novos estudantes a situações degradantes, conhecidas como trotes sujos. Pela mesma norma, foram instituídas regras para as festas na universidade.

A medida foi tomada após veteranos fazerem com que calouras simulassem sexo oral em linguiças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.