Andre Dusek/AE
Andre Dusek/AE

Umidade cai para 10% e Brasília entra em emergência

Índice só havia sido registrado em 2002 e 2004; secura também no restante do Centro-Oeste e no interior de SP

, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2011 | 00h00

BRASÍLIA

A umidade relativa do ar chegou a 10% às 14 horas de ontem em Brasília e a cidade entrou em estado de emergência. Valores iguais só haviam sido registrados em 7 de agosto de 2002 e em 4 de setembro de 2004. No Distrito Federal não chove há 66 dias. Para se ter uma ideia, no Deserto do Saara a umidade fica entre 10% e 15%.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o fenômeno se deve a uma massa de ar quente e seco que está sobre o Centro-Oeste e deixou em alerta todas as capitais da região. Em Cuiabá, às 17 horas a umidade era de apenas 11%. Em Campo Grande, o menor índice registrado ontem foi de 13%, e em Goiânia, 14%. Esses valores são considerados estados de alerta, conforme os critérios da Organização Mundial de Saúde. De acordo com o órgão, valores entre 21% e 30% são estado de atenção; entre 12% e 20%, de alerta; e abaixo de 11%, de emergência.

A Defesa Civil já aconselhou evitar atividades ao ar livre e exposição ao sol entre 10h e 17h, umidificar o ar por meio de vaporizadores, toalhas molhadas e vasilhas com água, ficar em locais protegidos do sol, consumir muita água e líquidos, fazer refeições leves, ligar o aparelho de ar-condicionado o mínimo possível, evitar banhos prolongados e usar roupas leves.

A baixa umidade continua nesta semana no Centro-Oeste, em São Paulo, Minas, no oeste da Bahia, no sul do Maranhão e do Piauí e no Tocantins.

PRESTE ATENÇÃO...

1. Hidratação. Tome bastante líquido, para evitar problemas de desidratação, e lave o nariz com soro fisiológico.

2. Em casa. Durante o dia, coloque bacias com água nos cômodos para reduzir a sensação de desconforto.

3. Atividades físicas. Evite fazer exercícios das 10h às 17h e use roupas leves, principalmente em caminhadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.