Uma sede através de São Paulo

Se eu pudesse

FABRÍCIO, CARPINEJAR, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2013 | 02h10

beberia a água das rosas,

beberia suas mãos ajeitando a folhagem,

beberia seu suspiro de abelhas,

beberia sua queda por janelas antigas,

beberia sua teimosia em guardar os objetos

do pai,

beberia sua vontade de misturar cor e cheiro,

beberia seu equilíbrio com as palavras,

beberia suas feridas nas unhas,

beberia sua pinta no pescoço,

beberia seu braço ruivo,

beberia toda cidade no caule de sua casa,

naquele momento

em que as rosas se adiantam

e começam a nos beber.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.