Uma pausa para ouvir Villa-Lobos no parque

Espaço será inaugurado hoje em SP

Ana Bizzotto, O Estadao de S.Paulo

13 Março 2010 | 00h00

Os frequentadores do Parque Villa-Lobos, na zona oeste de São Paulo, terão, a partir de hoje, um lugar para descansar e apreciar sinfonias e choros do compositor que dá nome ao lugar. No espaço Ouvillas, que será inaugurado às 11 horas, foram colocados 10 espreguiçadeiras, 12 bancos e 16 caixas acústicas dispostas em círculo para transmitir as músicas de Heitor Villa-Lobos.

Os bancos ficam sob a sombra de árvores e as espreguiçadeiras, sob o sol. O repertório, selecionado pela Rádio Cultura, será transmitido diariamente no horário de funcionamento do parque, das 6h às 18h. Quem passeava por lá ontem, enquanto o som era testado, foi atraído pela música.

"Faltava um espaço como esse. As pessoas têm de aprender a apreciar boa música. Nada melhor que fazer isso em contato com a natureza", disse a psicóloga Isabel Napolitano, de 50 anos, que escolheu um banco para ler e descansar. Já o vendedor autônomo Rubens Garcia, de 41 anos, preferiu uma espreguiçadeira. "A música e o ambiente me deixam zen e há o canto das cigarras. Mas devia ter bebedouro."

Segundo o diretor do parque, Roberto Rosa, 15 bebedouros serão instalados. "O espaço é uma homenagem a Villa-Lobos, uma forma de incentivar as pessoas a conhecer sua obra", diz Rosa.

O Ouvillas deveria ter sido inaugurado em setembro. "Houve atraso na licitação, e desde novembro não parou de chover", justificou o secretário estadual do Meio Ambiente, Xico Graziano. A chuva também adiou para maio a inauguração do Orquidário Ruth Cardoso. A nova sinalização, locais para coleta de recicláveis e um centro de educação ambiental serão inaugurados ainda neste ano. Para essas e outras mudanças foram investidos R$ 9 milhões. Antes de ser aberto, em 1994, o parque era um lixão a céu aberto, de 732 mil m².

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.