UMA MISTURA DE TRISTEZA E ALÍVIO

O marido da operadora de caixa Alessandra Mattos, de 23 anos, não a deixou ir à Kiss no sábado à noite, mesmo com o convite já comprado. Ela ficou brava e brigou com o marido. Todo mundo da loja estaria lá. "Ele falou: 'a gente tem um guri de três anos, eu não quero que tu vá!' Fiquei com raiva, ameacei. Tive de vender o ingresso da festa", relata.

/ N.C e JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2013 | 02h01

No incêndio, Alessandra perdeu os colegas Odomar, Sandra, Neiva e Paola, equipe que trabalhava em uma loja de departamentos de um shopping da cidade, além de Evelin, também amiga e funcionária de outra loja.

"Tive uma dor no peito horrível quando soube, fui parar no hospital. Fico aliviada por estar viva, mas triste de não ter mais meus amigos por perto".

Outro amigo, Jean Carlos, está no Centro de Terapia Intensiva (CTI). "Vi todos eles pela última vez no sábado antes de sair do trabalho, eles me abraçaram, me beijaram. Ainda bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.