Uma expert em pedras preciosas

Embaixadora da Fundação Tanzanita, a sul-africana Hayley Henning se diz apaixonada por pedras preciosas por causa das "raízes africanas". Moradora de Nova York, ela viaja o mundo para divulgar a cultura da gema. Essa semana foi a vez de visitar São Paulo.

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

01 de maio de 2011 | 00h00

Hayley frequentou festas de luxo e pôde constatar a vaidade das brasileiras. "Vi pessoas muito bem vestidas, com joias coloridas. Tenho a impressão de que as gemas fazem parte dos costumes do País."

A tanzanita é uma pedra preciosa de cor pouco usual. Dependendo da qualidade, os tons podem variar entre o azul royal e o violeta. Ela é extraída somente na Tanzânia, em uma região a cerca de 14 km da base do Monte Kilimanjaro. Estima-se que a produção seja limitada e dure somente uma geração. E também que a tanzanita tenha certas propriedades energéticas.

Segundo Hayley, as pessoas que acreditam em cristais dizem que ela transmite tranquilidade e equilíbrio. "A crença é pessoal, mas acho que pode, sim, ser útil aos paulistanos."

Hayley conta, orgulhosa, que parte das vendas de joias feitas de tanzanita auxilia comunidades locais que trabalham na mineração. A Fundação Tanzanita não tem fins lucrativos e fornece equipamentos hospitalares, água mineral e livros, além de ajudar na educação de mil crianças. "É o mais importante de tudo que fazemos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.