Um dos mortos era dono da fábrica que explodiu, diz prefeito

Aidan Ravin disse que duas pessoas morreram e fábrica de fogos era irregular; número de mortes anterior era 11

Maíra Teixeira e Priscila Trindade, da Central de Notícias,

24 de setembro de 2009 | 15h34

O prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), informou na tarde desta quinta-feira, 24, que uma das duas pessoas mortas na explosão era dona da fábrica de fogos de artifício. Esse é o número oficial de vítimas fatais até o momento. Outras 10 pessoas ficaram feridas (três levadas para o Centro Hospitalar) e três estavam desaparecidas. A explosão ocorreu por volta das 12h30, na Rua Américo Guazelli, no bairro Silveiras.

 

Veja também:

mais imagens Galeria com fotos do acidente

mais imagens Foto mostra antes e depois da explosão

especialExplosão e tragédia - acidentes na última década

som Moradora de Santo André fala da explosão em loja

video Vídeo - Repórter fala da explosão em Santo André

especialTem relatos, fotos ou vídeos da tragédia? Mande para o Estadão no twitter

linkCães ajudam na busca por sobreviventes em Santo André

linkEnergia é cortada em rua onde ocorreu explosão no ABC

 

Segundo o prefeito, um homem que morreu morava nos fundos da loja e a outra pessoa seria um parente dele. A prefeitura da cidade confirmou que a fábrica de fogos de artifício era irregular.  O estabelecimento tinha licença para comercializar os produtos e não para fabricá-los. Os fogos eram feitos na casa do proprietário da loja. 

 

Em entrevista à Rádio CBN, às 15h10, o Ravin afirmou que todos os secretários da cidade estão no local para ajudar no que for preciso. A assessoria de imprensa do Instituto Médico Legal (IML) da cidade informou que, por enquanto, não fará esquema especial de trabalho.

 

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informa que a sinalização das vítimas na área de rescaldo está sendo feita por lonas de cores variadas, colocadas na área para agilizar os procedimentos: na lona verde estão vítimas consideradas menos graves, na amarela estão vítimas leves, na vermelha àquelas que estão em estado grave, e na preta as vítimas fatais.

 

Atualizado às 16h54 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.