Última vítima de acidente da TAM deixa hospital em SP

Homem estava no terceiro andar do prédio da TAM Express e teve de pular para o segundo, onde foi salvo

Gilberto Amendola, do Jornal da Tarde,

06 de setembro de 2007 | 19h04

Embora Valdinei Nascimento Muricy, de 33 anos, ainda não possa andar, ele recebeu alta, nesta quinta-feira, 6, do Hospital Santa Bárbara, na zona sul de São Paulo. Muricy é funcionário da TAM Express estava no prédio no momento em que ele foi atingido pelo Airbus A320, no dia 17 de julho - quando 199 pessoas morreram. O funcionário foi o último sobrevivente a receber alta - ele estava no terceiro andar do prédio e precisou saltar do terceiro para o segundo andar - onde foi encontrado por bombeiros e resgatado.  Veja a cobertura completa sobre o vôo 3054 Embora a assessoria de imprensa da TAM tivesse afirmado que o seu funcionário não se manifestaria, Muricy falou rapidamente sobre seu estado de saúde. Segurando uma flor, que ganhou do próprio hospital, ele afirmou "Estou bem graças a Deus. Estou Feliz. Passou o susto..." Muricy foi levado ao hotel Quality, na Washington Luiz. Ele ficará hospedado em um quarto adaptado às suas necessidades. Além disso, Muricy terá acompanhamento médico diário (fisioterapia, serviço de enfermagem, alimentação adequada etc.). Todas as despesas estão sendo pagas pela própria TAM. A diretora médica do hospital Santa Bárbara, Maria Isabel Piva, afirmou que a situação de Muricy é boa, mas que ele ainda precisa ser tratado. "Ele chegou no hospital em um estado bastante grave. Foram pelo menos seis cirurgias de recuperação. Ele colocou pino na bacia, quebrou o fêmur, a clavícula e passou por cirurgias plásticas", disse. Muricy deixou o hospital em uma maca porque ainda não consegue dobrar a perna esquerda. "Ele ainda vai precisar passar por muitas sessões de fisioterapia. Mas acredito que irá voltar a andar, e ter uma vida normal, dentro de uns 20 dias. O paciente não deve ter nenhuma seqüela", afirmou Piva. A médica ainda contou que, no início de sua internação (que durou 51 dias), Muricy estava muito triste por causa de uma amiga de trabalho que ele não conseguiu ajudar. Mas, com o passar do tempo, o assunto "acidente da TAM" deixou de ser mencionado e seu humor melhorou.

Tudo o que sabemos sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.