Última chance do ano: ''Trovadores'' cantam o Natal

Grupo se apresenta hoje na sede, em Perdizes; apresentações voltam no dia 21 de janeiro, com repertório de MPB

, O Estado de S.Paulo

23 Dezembro 2010 | 00h00

Muito mais que jingle bells. Quem gosta de musiquinhas de Natal, e de todo o clima festivo que elas inspiram, não pode perder a oportunidade de ouvi-las entoadas pelo tradicional grupo de seresteiros Trovadores Urbanos, que há 20 anos encanta seu público. Hoje, a partir das 19 horas - até as 21 horas -, é a última chance do ano para quem está em São Paulo.

Desde o início do mês, de segunda a segunda, quatro ou cinco noéis - a formação pode variar conforme o dia - acompanhados de violão entoam os clássicos natalinos do alto da sacada da sede do grupo, localizada em Perdizes, na zona oeste de São Paulo.

"Junta muita gente. Está sendo uma experiência muito legal", comenta a coordenadora do grupo, Maída Novaes. "Só quando chove é que atrapalha um pouquinho, pois as pessoas saem correndo para não se molhar", afirma.

A ideia de transformar a frente da sede em palco urbano começou a ser colocada em prática há um ano, quando as canções de Natal eram entoadas somente às sextas-feiras. O sucesso foi tanto que motivou o grupo a continuar com a experiência, de forma ininterrupta, ao longo do ano de 2010 - apresentando, é claro, o repertório convencional de Música Popular Brasileira, em vez das músicas natalinas. "Serviu para comemorarmos os 20 anos de fundação dos Trovadores", explica Maída.

Mais possibilidades. O projeto foi batizado de Seresta às Sextas. No mês de dezembro, ficou decidido que as apresentações seriam diárias. "É um jeito de conseguirmos atingir mais gente, com mais possibilidades de data", diz a coordenadora.

Hoje, após a última apresentação do grupo, o projeto sai em férias. Mas já tem retorno marcado para o ano que vem, previsto para o dia 21 de janeiro, novamente com periodicidade semanal e repertório mais abrangente - especialmente com composições de Música Popular Brasileira (MPB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.