TV Polo
TV Polo

TV comunitária é atacada, tem estúdio depredado e sai do ar em Cubatão

Câmeras, computados, monitores e tripés foram danificados - prejuízo estimado é de R$ 200 mil; nenhum objeto foi furtado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2019 | 09h55

SOROCABA - A sede da televisão comunitária TV Polo foi invadida e depredada, no domingo, 8, em Cubatão, na Baixada Santista. O estúdio foi revirado e os equipamentos, incluindo câmeras, computadores, monitores e tripés, foram danificados. A emissora foi obrigada a retirar sua programação do ar. Até a manhã desta terça-feira, 10, nenhum suspeito tinha sido identificado.

Ainda não se sabe a motivação do ataque, que deixou um prejuízo de R$ 200 mil. Como nada foi furtado, a suspeita é de que o objetivo tenha sido tirar a emissora do ar. 

"A Polícia Civil está investigando. Os peritos estiveram em nossa sede, tiraram fotos e fizeram uma perícia, mas até agora não se tem suspeitos. Não sabemos a motivação do ataque", disse o dirigente da Associação Cubatense dos Produtores de Vídeos Independentes, Francisco Carlos dos Santos, que mantém a emissora.

A grade da TV inclui programas de entrevistas, debates sobre os cenários políticos regionais e nacionais e discussões sobre problemas da região metropolitana da Baixada Santista, incluindo as questões de segurança pública.

"Procuramos manter uma linha imparcial e evitar polêmicas, justamente para evitar esse tipo de coisa", disse Santos.

A sede da TV fica na Avenida 9 de Abril, no bairro Vila Nova, próximo do centro. A Polícia Civil informou que aguarda o laudo da perícia para dar um rumo às investigações. Estão sendo examinadas imagens de câmeras instaladas na região.

A emissora denunciou o ataque em sua página no Facebook e pediu à comunidade apoio na cessão de equipamentos para recolocar a programação no ar. 

"Conseguimos um computador e recuperamos alguns equipamentos. A qualquer momento podemos retomar parte da nossa programação”, disse Santos, nesta terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.