TV a cabo, energia e internet sofrem pane; Procon quer explicação

A Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) pediu esclarecimentos à Eletropaulo sobre as interrupções no fornecimento de energia e falhas no atendimento ao cliente. Anteontem, 44 dos 1,7 mil circuitos de energia foram interrompidos. Mas as cerca de 100 mil pessoas sem luz não podiam reclamar porque o serviço de atendimento ao cliente (call center) ficou paralisado.

O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2013 | 02h05

O Procon notificou também a NET por causa das falhas no serviço de internet e telefone. O microempresário Edvaldo de Souza, de 37 anos, foi um dos paulistanos que sofreram o problema. Ele está sem internet e telefone desde quinta-feira, quando árvores caíram em cima da fiação da via. A empresa fica na Rua Cardeal Arcoverde, em Pinheiros, na zona oeste. "Há nove anos, todos pedem para fazer a poda das árvores aqui e nada acontece", reclama.

Tanto a NET quanto a Eletropaulo responsabilizaram a Tivit, empresa que faz armazenamento e processamento de dados para ambas e de call center para a Eletropaulo.

O secretário de Estado de Energia, José Aníbal, afirmou que o serviço prestado pela Tivit foi um "desastre" e os clientes da Eletropaulo ficaram "em pânico" e desamparados.

"A falta de luz é um problema sério, mas o atendimento poderia ter minorado. A Tivit tinha uma responsabilidade desse tamanho e no primeiro teste o serviço entra em colapso?", questionou. Segundo Aníbal, a empresa precisou acionar os geradores reserva na quinta à noite, mas o sistema falhou. "Vamos fazer um relatório do episódio e mandar isso para a Agência Nacional de Energia Elétrica. Eles que podem multar", disse o secretário.

O estadão.com.br, portal do Estado e que tem a Tivit como fornecedora, também teve problemas anteontem.

A Gol foi outra empresa que sofreu instabilidades. "O datacenter da Tivit, utilizado pela companhia, ficou indisponível por alguns minutos, porém não gerou impacto nas operações", disse.

A Tivit afirma que sua central sofreu uma "indisponibilidade parcial" após "oscilação no fornecimento de energia da rede pública". A Eletropaulo nega essa oscilação e promete cobrar esclarecimentos. "Eles vão apurar por que o gerador não funcionou", disse Sidney Simonaggio, vice-presidente de operações da Eletropaulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.