Tutty Humor

O Lula é o limite!

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2011 | 00h00

Salvo engano, que costumo cometer aos montes, Dilma Rousseff teve um motivo especial para se afastar de Brasília nesta semana. A exemplo da faxina ética que interrompeu com receio de carimbar a sujeira da equipe de seu antecessor, não quis agora, no balanço da efeméride de seu oitavo mês no Palácio do Planalto, servir de evidência para o fato de que Lula viajava muito acima do necessário quando governava o País - daí o giro atual da presidente para acúmulo de milhagem.

Chega a ser comovente seu esforço para jamais deixar o ex-presidente em uma saia-justa. Sabe que se fizer algo melhor que ele para o País, já viu, né? A base aliada fica amuada, faz beicinho, bate o pé, ameaça chutar o balde da governabilidade.

Pela lógica disso que a oposição chama de "herança maldita", falta ainda à herdeira entornar umas caipirinhas e caprichar nos erros de concordância para evitar comparações que lhe sejam favoráveis quando completar um ano de Alvorada.

O que precisar fazer, Dilma fará para manter a coesão das diferenças que a unem ao Lula. Hoje à noite, por exemplo, eles vão juntos aprovar uma moção de apoio a José Dirceu no Congresso do PT, como se isso fosse a coisa mais agradável do mundo.

Inveja é uma...

As orelhas de abano de Fabiana Murer não favorecem em nada sua performance de atleta. A hipótese absurda corria ontem à boca pequena entre as adversárias derrotadas no Mundial de Daegu. Como se o pavilhão auricular saliente

fosse uma espécie de doping no salto com vara. Pode?

Viva Fabiana Murer

Enfim um atleta brasileiro que, ao conquistar feito inédito para seu País, não se escangalha de tanto chorar no pódio!

Pura camaradagem

A julgar pela falta de notícias, está tudo bem com Fidel Castro. Vai ver o Comandante só passou uns dias internado em solidariedade a Hugo Chávez. Ou não!

Preconceito climático

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, ligou ontem para o presidente da França, Nicolas Sarkozy, sugerindo uma ação conjunta para banir o clima africano do verão europeu. Na quarta-feira, Roma passava a sensação térmica de estar em chamas.

Uma coisa ou outra

O problema do esquema de rodízio de atendimento como forma de protesto dos médicos de planos de saúde em São Paulo é a greve dos coveiros na capital. Ou bem deixa morrer ou bem não enterra!

Eu, hein!

Bastou o Copom reduzir 0,50 ponto porcentual da taxa Selic e pronto: tem comentarista de economia - ô, raça! - que há anos pregava cortes radicais na taxa de juros dizendo agora que o Banco Central perdeu a autonomia de decisão e a independência.

Quem?

De nomes estranhos o governo está cheio, mas igual ao da nova presidente do IBGE, francamente, eu nunca vi: Wasmália (Bivar) é, provavelmente, filha do seu Washington e da dona Amália, tadinha!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.