Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2011 | 00h00

Na semana em que o time de Mano Menezes caiu para sexto lugar no ranking da Fifa, o UFC Rio consagrou a paixão do torcedor da seleção por outra modalidade de esporte: "O Brasil é o país do Ultimate Fighther", descobriu Dana White, o americano que reinventou o "vale-tudo" no mix de lutas marciais MMA.

Se os grandes mitos mundiais dessa pancadaria saem de nossas comunidades carentes e, logo na primeira chance de aplaudi-los de perto, 14 mil torcedores - muitos vindos de outros Estados - pagaram caro para incendiar o HSBC Arena, é natural que o dono do negócio já tenha planos para, logo, logo, transformar o octógono em palco para multidões em São Paulo, BH, Manaus, Porto Alegre...

Eu sinto muito! Nada contra os socos, chutes, joelhadas e rasteiras de praxe, mas quando o sujeito que está por cima começa a esmurrar a cara ensanguentada e a orelha amarrotada do adversário recém-desabado no tatame, minha vontade - juro! - é de chamar a polícia: "Tem um animal matando outro aqui na minha TV!"

Tudo bem, a graça está na sova - eu sei! -, mas será que não daria ao menos para interromper a luta quando ela vira briga de rua? Tudo, até violência, tem limite, caramba!

Esquisitão

Assustados com o tanto que ele gritava assistindo às lutas do UFC Rio na TV, vizinhos de João Gilberto chamaram a polícia na madrugada de domingo. O cantor é um desses fãs improváveis do MMA. Vira outra pessoa quando o Minotauro pisa no octógono!

Ex-gordo

Para acabar de vez com as suspeitas sobre o tanto que andou ganhando no governo, o ex-ministro Antonio Palocci perdeu 10 quilos depois que deixou Brasília. Essas coisas a oposição não vê - ô, raça!

Mal comparando

O Japão troca mais de primeiro-ministro - está indo para o sexto em 5 anos - do que Campinas de prefeito e o Atlético Paranaense de técnico.

Garçonnière

Imaginar que a alta rotatividade de homens públicos no quarto de hotel de José Dirceu é indício de conspiração, francamente, a Veja não vê maldade em nada, né não? Tolinha!

Foi mal!

Depois de surpreender a si próprio com o 7.º lugar no grid do GP da Bélgica, Bruno Senna fez de tudo para acabar a corrida atrás do Rubinho: errou na largada, provocou acidente, pagou punição nos boxes, mas não deu! Acabou em 13.º, três posições à frente de seu compatriota mais experiente.

Mais o que fazer

Se você não faz a mínima ideia do que tratam a emenda 29 e a PEC 300, sorte sua! Só se fala dessas chatices no Congresso!

De mal

Não convidem os novelistas Aguinaldo Silva e Walcyr Carrasco para a mesma mesa. É o que se comenta no Projac, mas, pensando bem, por que alguém haveria de fazê-lo?

Furacãozinho

Nova York viu Irene dando risadas!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.