Tutty Humor

A diversidade do fim do mundo

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2011 | 00h00

No fundo, no fundo tudo é saque! De um lado, grandes investidores dos quatro cantos do planeta correm em pânico com seus bilhões de um lado para o outro sobre os escombros das bolsas de valores.

De outro, os sem-nada do Reino Unido se aproveitam da vitrine quebrada por pedra endereçada à polícia pra ver se ganham alguma coisa nessa bagunça danada que virou a humanidade. Em Wall Street ou em Tottenham, o clima de salve-se quem puder é o mesmo!

Os dois extremos da pirâmide da pindaíba social experimentam sensações muito parecidas de medo, insegurança, desespero, histeria, risco, selvageria, angústia e palhaçada.

Outra coisa em comum nos incêndios da periferia de Londres e nos colapsos do mercado financeiro: ninguém sabe explicar direito como tudo começou ou onde isso vai parar.

Mas param por aí as coincidências entre o caos dos ricos e a zorra dos pobres. A polícia não bate na turma que saqueia bolsas de valores.

São, evidentemente, fins do mundo distintos, como tantos outros que o ser humano - ô, raça! - superou.

Vamos lá, gente, relaxa aí! Vai passar!

Sucessor natural

O sucesso de Byafra cantando "voar, voar, subir, subir..." na propaganda da Bradesco Seguros pode transformar o comercial em série. Oswaldo Montenegro interpretando Bandolins no banco de trás do carro pode ser o próximo artista contratado para levar o ladrão de automóveis ao desespero no reclame de TV.

Ex-moicano

Como assim "o time do Mano Menezes não mudou nada" na derrota de 3 a 2 para a Alemanha? Só o fato de o Daniel Alves ter raspado a cabeça já foi bom demais!

Vestida pra ser vista

A Assessoria de Imprensa de Marta Suplicy aconselhou a senadora a dar um tempo nos tailleurs vermelhos enquanto durarem as investigações sobre a roubalheira no Ministério do Turismo. Fica muito difícil, vestida daquele jeito, se esconder das perguntas dos jornalistas sobre o envolvimento no caso de um apadrinhado político de longa data.

Não tem erro

Deu no portal Comunique-se que o novo site da jornalista Ana Paula Padrão, Tempo de Mulher, tem como palavra de ordem o "empoderamento feminino". Tem tudo pra dar certo, né?

Recaída esperada

Para quem ainda não entendeu por que as bolsas de valores voltaram a cair ontem após a fantástica recuperação de terça-feira, explica-se: os investidores estavam de fato animados com a reunião do Fed que manteve a taxa básica dos juros nos EUA entre zero e 0,25%, mas aí, como diz o Chico Buarque, "lalari, lairiri, lalará, liliri..." É sempre assim!

Genérica

Já tramita na oposição a ideia da "CPI de Tudo Isso Que Aí Está"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.