Tutty Humor

Calce já sua chuteira!

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2011 | 00h00

Não tem sido tarefa fácil torcer pelo Brasil, mas, justiça seja feita, a esperança em Neymar, Ganso & Cia é o que resta ao torcedor brasileiro após o fim de semana trágico para Giba, Marta e suas respectivas companhias. Não somos, pelo menos momentaneamente, o país do vôlei masculino ou do futebol feminino, como supunha o noticiário até o último domingo.

No mais, Felipe Massa e Rubinho Barrichello - 5.º e 13.º no GP da Grã-Bretanha - já nem contam nesse jogo da autoestima nacional no mundo dos esportes. Não dói nada vê-los perder!

Da mesma forma que ninguém - à exceção talvez de Fernando Meligeni, que é meio argentino - vibrou com a vaga conquistada pelo tênis brasileiro na repescagem da Copa Davis.

Cá pra nós, quase tão entediante quanto a má performance dos rapazes do tênis e da Fórmula 1, a rotina de vitórias de nossas duplas de vôlei de praia também já não desperta emoção nas arquibancadas. Se ganhamos sempre, que graça tem?

Moral da história:

Ainda que amanhã seja Jádson, Fred e mais nove, o brasileiro não tem nada melhor para torcer fora da Copa América. Vamos lá, gente: "Brasil (fiu-fiu-fiu), Brasil (fiu-fiu-fiu)...!"

Troca-troca de musa

Encerrada a Flip, ninguém mais se lembra direito da escritora argentina Pola Oloixarac, substituída sumariamente no coração dos brasileiros pela estonteante Hope Solo, goleira da seleção dos EUA. Todo mundo torcerá por ela na semifinal de amanhã, contra a França, no Mundial de Futebol Feminino da Alemanha.

Ah, coitada!

Ideli Salvatti vem tendo pesadelos horríveis com motosserra desde que Blairo Maggi recusou convite de Dilma Rousseff dizendo-se magoado com a ministra.

Questão de fé

Romário não bebe, é a favor da lei seca e só não se submete ao teste do bafômetro porque sua religião não permite.

Louro-burro

O lateral direito Daniel Alves ficou meio burro depois que virou quase louro! Só se fala disso na concentração da seleção brasileira em Córdoba.

Verdadeira vocação

O Brasil ganhou 68 prêmios no Cannes Lions, o Oscar da publicidade. Isso quer dizer o seguinte: se tudo der errado na Copa América, ainda vai dar pra dizer que isso aqui é o país da propaganda.

Alvíssaras!

Quem teve a sorte da insônia na semana passada garante: o prazer da boa conversa está de volta ao Programa do Jô. A conferir!

Vale-tudo

O México jogou noite dessas na Copa América todo de preto com listras vermelhas sobre os ombros, descendo pelas mangas. E ainda tem corintiano que estranha a camisa grená do Timão.

Agenda positiva

Se Blairo Maggi disse não a Dilma, quem sabe Hugo Chávez também não declina do convite que recebeu da presidente brasileira, né?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.