Tutty Humor

Sonhático ou pós-utópico

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

09 Julho 2011 | 00h00

Marina Silva cometeu um neologismo no ato público que marcou seu desligamento do PV: definiu o momento como "sonhático", em oposição ao gesto "pragmático" que, em geral, move os políticos de um partido para outro. Quis dizer que saiu em busca do sonho de uma nova forma de fazer política, sem qualquer estratégica prática com objetivo eleitoral.

"Sonhático" é, portanto, quase sinônimo de "utópico", termo que virou adjetivo próprio dos lunáticos depois daquilo tudo que soterrou o socialismo - daí, talvez, a necessidade que a ex-senadora sentiu de inventar uma nova maneira de dizer a mesma coisa.

Acho difícil que pegue no vocabulário do eleitor, mas chama a atenção o fenômeno do advento de uma palavra na era Google. Da noite pro dia, o sistema de busca localizou 400 links para quem procurava por "sonhático" na rede mundial de computadores - todos, absolutamente todos, voltados para a citação de Marina Silva publicada nos noticiários eletrônicos.

Isso quer dizer o seguinte: ainda que passe rápido como a velocidade da informação e jamais chegue aos dicionários, "sonhático" será, para sempre, marca registrada da ex-senadora no universo virtual.

Sério!

Quem já cruzou com Alceu Valença depois do implante de cabelo no cocuruto do cantor aconselha a quem ainda não passou pela experiência: "Se na hora você rir, ele parte pra briga!"

O império do mal

Protagonizada pelos personagens Leo e Norma de Insensato Coração, a luta do mal contra o mal tem batido recordes de audiência na TV. Os telespectadores se dividem na torcida por Glória Pires, interpretando o mal do bem, e Gabriel Braga Nunes, no papel de mal mau.

Aconchego da cadeia

A expressão "entrar numa fria" juntou o literal ao idiomático no caso do preso foragido de Florianópolis que se entregou à polícia acuado pela temperatura de 4,4º C fora da cadeia.

Memória curta

Cadê o Marco Maciel?! Trata-se, salvo engano, do último ex-vice-presidente da República vivo. O Sarney também foi eleito para o cargo, mas infelizmente, como se sabe, não o exerceu!

Los Hermanos - ô raça!

O mundo inteiro lamenta que Messi não repita na Copa América o futebol que o elegeu melhor do mundo. Só na Argentina cobra-se dele disposição para cantar o Hino Nacional antes dos jogos.

Trocadalho

Pelo recado enviado ao governo pelo diretor do Dnit - "Manda quem pode e obedece quem tem juízo" -, Luiz Antonio Pagot, mas precisa ver quem mandou pagar.

A inveja é uma...

"E o Luiz Gushiken, hein?!" Só se fala disso entre os 37 indiciados no processo do mensalão.

Mais um!

Como se não bastasse o Blairo Maggi, Dilma convidou Hugo Chávez para vir se tratar no Brasil. Ambos ficaram de pensar!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.