Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

Sete em cada dez eventos do calendário oficial do fim do mundo estão ligados ao noticiário dos chamados fenômenos naturais. Quando não chove acima do previsto nem cai a temperatura abaixo do suportável, a terra treme, o mar avança, o rio sobe, o granizo assusta, o vento devasta... A má notícia, como se sabe, está no ar!

O brasileiro que se programou para passar férias de julho em Bariloche vê, de repente, seu passeio à Argentina ameaçado pelas cinzas de um vulcão chileno.

O meio ambiente virou uma caixinha de surpresas.

O frio nas regiões serranas do Sul do Brasil talvez seja a única intempérie que ainda não passou dos limites. Pelo contrário, se nevar no próximo fim de semana em Gramado e São Joaquim mais que o esperado para todo o inverno no País, vai ser uma festa por lá.

No domingo passado, uma multidão saiu às ruas no meio da noite gélida para celebrar o fenômeno natural dos primeiros flocos brancos caídos do céu.

A ideia é essa: quanto pior o clima lá fora, melhor! Perfeito para quem cansou de torcer por tempo bom nas férias: que venham as nevascas!

Olho por olho

Pode ter gente graúda do PT envolvida na morte do personagem de José de Abreu (foto), barbaramente atropelado por um ônibus na novela Insensato Coração (TV Globo). Não é de hoje que a amizade do ator com José Dirceu provoca ciúmes no partido.

Estilo próprio

Neymar contratou os serviços do personal stylist Ricardo Almeida, papa da alta-costura masculina. Isso quer dizer o seguinte: ainda vamos sentir saudades do visual despojado do jogador.

Toque de classe

Os dados são do Censo 2010: há mais casais gays vivendo na periferia de São Paulo do que em áreas ricas da cidade. Ou seja: essa nova classe média brasileira não vai ser igual àquela que passou!

Go home

Bota-fora de Hugo Chávez em Havana não tem data para acabar. Há muito tempo os cubanos não tinham motivo pra tanta festa.

Mal comparando

Por essa o Pelé não esperava: para alguém tão identificado com o Boca Juniors como Maradona, a queda do River Plate para a segunda divisão do futebol argentino vale tanto ou mais que um título da Libertadores.

Mal comparando 2

A julgar pelo clima de euforia que a notícia despertou no governo, a escolha de José Graziano para a direção da FAO é tão importante para o Brasil quanto a Copa de 2014.

Amigo da onça

Ideli Salvatti está apavorada. Também, pudera! Aloizio Mercadante cismou de sair em defesa dela no Senado. A ministra torce para que o companheiro revogue tal decisão.

Homofóbica, eu?

Myriam Rios revela-se na internet uma espécie de Bolsonaro de saia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.